Poesias e Mensagens Virtuais

Mensagens de Ari Pinheiro

De rumo Seara e Canção

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Felicidade

    De rumo Seara e Canção
Bira Anchieta/Ari Pinheiro/Luiz Carlos Ranoff 

Tamanho da fonte
Me fiz cantos dos caminhos
amante de campos e ventos
nesta jornada comprida
segui sorvendo relentos
sem Ter rumo ou pouso certo
com destino indefinido
fiz meu cerne ressequido
na tempra dos desalentos...

Vim da guitarra dos anos
como os antigos caudilhos
trago versos mal trapilhos
que juntei nos corredores
com eles reguei as flores
que sofriam ressequidas
p’ra elas compus canções
como toscas orações
de paz p’ras almas perdidas...

Meu canto tem muito de arado
de terra, sangue, suor,
é o telurismo pampeano
do taura que passa os anos
tentando enganar a dor
na sanga dos desenganos
insiste em lavar os panos
suados de seu labor...

Um dia veio outra gente
impondo cantos estranhos
sem a magia da sanga
que viu meu primeiro banho
não aceitei os ajojos
de quem quis me botar freio
e eu mesmo forjei os meios
de pastorear meu rebanho...

Este canto vem sorrindo
com ares da primavera
florindo antigas taperas
paisagens antes dormentes
galopa e lança sementes
na pampa, sua lavoura
que recebe a semeadura
no coração desta gente.

Breve romance dos despachados

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Fábulas

Breve romance dos despachados
Autor - Ari Pinheiro
Intérprete - Érico Machado Bastos
Amadrinhador - Chico Saga


Quero que saibas, meu irmão de trago,
que nesta noite quase dia
compartilhas este balcão;
que esta estampa judiada
de andarilho sem rumo
é o rascunho de um passado
que o próprio tempo apagou...

- Estes cabelos mouros – acredite -
já foram asas centauras
que soas vinchas prendiam
nos dias de marcação!

- Estes braços tremelicantes
- Fiapos de nervos cansados –
já foram cernes de anjico,
garras de aço nas tesouras
das tosquias de Santana!

Repara bem parceiro,
neste tento que me serve de guaiaca,
prendendo mal e mal
este resto de bombacha...
... ele já foi parte de um laço de treze braças,
que num armadão fachudaço
jamais “encharutava”,
indo aninhar-se tranqüilo
nas aspas de um touro pampa,
destes que fazem “rosca na cola”
quando um pingo cruza o rastro
nos rodeios do Rio Grande!

E estes olhos sem brilho
que a catarata nublou,
parece mentira que foram faróis
de cruzar distâncias
e alumbar lonjuras
em tantas noites de ronda,
quando as tropas faziam estradas
nas planícies de Aceguá!

É bem verdade que cruzei fronteiras,
risquei caminhos,
Picaniei o destino
e busquei progresso...
... mas sempre para os outros!

Não tive tempo pra mim
porque na faina campeira
o suor vale muito pouco,
e o tempo sempre é contado
pelo relógio do patrão...


E assim parceiro,
quando estas pernas fraquearam
e não pude mais ginetear,
a fazenda ficou pequena
contrataram outro torena
e eu herdei o corredor...

Por algum tempo
changuiei uns pilas mirrados,
que me davam mais por pena que por paga,
gente que me vira monarca
culatreando tropas e engordando as burras
dos barões do pampa...

... depois me afundei na vida,
já sem cavalo,
(o meu morrera cedo, talvez por desgosto
de ver o dono em frangalhos)
vendi as garras por poucas patacas,
já que a mim não sobraram nem galpões
pra guardar trastes...

...da mitológica figura de centauro andante,
do laçador, ginete e tropeiro,
do cirurgião das mangueiras
que castrava por um trago de cachaça,
dele, nada mais resta...
aliás, nem sei como lembrei hoje
aquilo que fui...

Talvez a tua figura, irmão de trago,
recém chegado do campo,
tão espoliado quanto eu,
tenha acordado em meu peito
uma réstia de nostalgia...

A nós, parceiro,
resta o esquecimento dos bolichos
E a parte pobre de um cemitério
numa cruz sem inscrição...
...pois aos parias não se acendem velas,
já que a solidão não gera filhos
e nem netos pra chorar....

Miragem na curva do olhar

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Natureza

Miragem na curva do olhar
Ari Pinheiro


Hoje eu acordei poeta...
E a estrada real me parece
Muito menos com a partida.
Aliás, a velha trilha dos retirantes
Está vestida de poeira nova
E sol vespertino
Desenha figuras no horizonte...

Figuras de mil tauras que voltam
Pra beber na paisagem
A seiva ancestral
Que dormita tranqüila
Na paz destes campos!

Perfilados nos arames
Formam alas os pelinchos,
Numa continência muda
A tantos bravos que passam!

Lá vêm eles...
Estão mais perto agora...
E os capacetes de obra
Começam virar chapelões de abas largas
Que adornam com graça
Os semblantes sofridos...

De repente,
Os aventais de oficina
Viram ponchos alados
Na manhã destes pagos,
E ondulando pacholas
Acenam faceiros
À inquietos cardeais
Que espionam das moitas!

Ah! E os fletes...
Até antes da curva
Apenas calhambeques de frete
Mas agora... Que flor de fletes!
De crinas ao vento, parecem centauros
Encurtando distâncias
Pra o lado de cá!

E além...
Despontando na retaguarda,
Seriam carretas?
Sim! São carretas!
São as velhas carretas lerdas,
Lerdas e cantadeiras
Recheadas de provisões...!



Eis o meu povo de volta
Chegando de manso na curva do olhar!
Não mais parecem farrapos
São tauras garbosos tomando de volta
O que sempre foi seu!
Galopam seus potros pelas pradarias
Buscando nos sonhos
Razões pra ficar...
E as sangas faceiras
Abraçam com graça
Os corpos suados
Que vem descansar!

Pra quem volta aos pagos
Pouco importa caminhos ou atalhos...
A alma sempre chega pilchada
E de à cavalo!

Que bom que hoje acordei poeta!
Amanhã... Amanhã, de repente,
Nem mais acorde assim...
Mas hoje... Hoje eu estou poeta!
E posso receber de alma aberta
Mil tauras que voltam
Pra beber na paisagem
A seiva ancestral que dormita tranqüila
na paz destes campos!

Parar por quê?

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

Parar por quê?

Talvez você esteja pensando 
em parar com tudo agora, 
neste momento!

Pense bem... porque parar, 
se há tanto para caminhar? 
Você pode estar sendo chamado 
como precursor de alguém...
E se alguém precisar de seu rastro
para seguir em frente, 
já pensaste na frustração de 
quem não encontra trilhas
no deserto?
De quem não encontra rios no ermo?
Se ainda há água no teu cantil;
se ainda há farinha na tua botija;
se ainda há luz em teus olhos;
se ainda há som em teus ouvidos;
se ainda há esperança em teu coração;
se ainda há dor em teus pés;
se ainda há estrada para palmilhar;
é por que Deus nunca te abandonou!
Faça uma pausa, respire fundo...
faça uma prece, uma oração,
um agradecimento
e siga em frente;
depois da curva da estrada
está o teu destino;
um lugar onde mana leite e mel,
Jesus, o supremo galardoador!

 

Ato de amor 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Religiosa

Ato de amor


Pr Ari pinheiro



 



Um dia Deus viu que não havia saída


Que a humanidade corrompida


Tinha perdido o rumo


Tinha saído do prumo


Escolhido outros caminhos


E pobre do homem sozinho


Vivia solto ao relento


Como um barco naufragando


Como uma folha vagando


Uma mera presa do vento



 



Não havia quem pagasse


Ou ao menos apostasse


Na sua recuperação


A estrada da salvação


O homem havia perdido


Ele próprio havia implodido


Todos os escapes seus


Era uma calamidade


Já que toda a humanidade


Estava apartada de Deus



 



Foi então que num ato de amor


Como o nascer de uma flor


Em meios aos espinheiros


O que nos amou primeiro


Mudou o nosso fadário


Apresentou-se como voluntário


Para enfrentar o nosso algoz


Deixou seu reino soberano


E transmutou-se em ser humano


Para habitar entre nós



 



E foi assim que uma estrela guia


Vestida de luz e poesia


Riscou o céu em resplendores


E veio acordar os pastores


Que dormiam no deserto


Mostrando que estava perto


A terra do leite e mel


Pois conforme as profecias


Naquela mesma noite nascia


O remidor de Israel



 



Sim, o filho da irmã Maria


O meu salvador nascia


Como rebento de José


Ele, o autor da nossa fé


A salvação da lavoura


Numa humilde manjedoura


Tinto de glória e de luz


Não veio em meio aos doutores


Mas entre animais e pastores


Nasceu o mestre Jesus...



 



E foi assim mesmo senhores


Que a mais sublime das flores


Que o mais caro dos perfumes


Que o mais luminoso dos lumes


Veio habitar esse mundo


Pois só com amor tão profundo


Para comprar a redenção


Do homem mau e impuro


Que há muito vivia no escuro


Sem luz e sem salvação...



 



É por isso que hoje em dia


Nas noites de calmaria


Perco-me olhando estrelas


Emociono-me só de vê-las


Em seu noturno esplendor


E o amor do Salvador


Inunda meu coração


Pois do esplendor dessa glória


Nasceu o futuro da história


Nossa total redenção!!!



Ser feliz 25

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

Ser feliz



É saber que beijos não são



contratos e presentes não são promessas!



É não precisar mudar de amigos, mas entender que amigos



mudam, que dar a mão não significa acorrentar uma alma...



e que verdadeiras amizades crescem,



mesmo na distância!



É saber que Deus, mesmo que você



não o veja, é o único que



infinitamente perdoa,



encoraja ao perdão



e sempre tem um colo quente



à sua disposição...

Quando a alma voa

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor

Quando a alma voa


Ari Pinheiro





Quando a alma voa



Louca e desvairada



Pela madrugada



Em busca de amor



A do sonhador



Qual um colibri



Erra por aí



Em busca da flor...



 



Se  ficas distante



Sou só devaneios



Mergulho em anseios



Nada mais importa



Nada me conforta



Em meu desalento



Sou presa do vento



Tal qual folha morta...



 



Se negas teu brilho



Eu perco meu rumo



Total desaprumo



Num mar encrespado



Mui desesperado



Sem o teu luzeiro



Sou simples veleiro



Com mastro quebrado...



 



Mas se abres teus braços



De pronto me achego



Sublime aconchego



Cantiga dolente



Anjo feito gente



Ser mais que divino



Volto a ser menino



No teu colo quente...



Amor imortal 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor

Amor imortal


Ari Pinheiro



 Amor



Fagulha que queima



Em chamas violentas



Vendaval e tormenta



Que brota da alma



Não há noite calma



No lar coração



Se a brasa soprada



Se a chama atiçada



É a do amor paixão...



 



Amor



Brisa suave



Marulho de mar



Um vôo no ar



No céu dos amantes



Nada é o bastante



Mas a si mesmo se basta



E não existe metade



Pois amor de verdade



Jamais se desgasta!



 



Amor



Rio de emoções



Sereno e fecundo



Ou fogoso e profundo



Importa a quem ama



Manter esta chama



Sempre acendida



E aprender afinal



Que o amor é imortal



E combustível da vida!!!



Payada da salvação

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Humor

Payada da salvação


Ari Pinheiro



 Deus me deu o Dom supremo


de poeta versejador,


despenseiro do Evangelho


e Seu infinito amor


me tirou dos palcos do mundo


para ser um crente payador.


Não para cantar um Cristo


Morto, crucificado,


Eu canto um Cristo liberto


Divino ressuscitado...



 



Eu vi muitos cantar Cristo


Segundo a própria visão


Louro, negro ou amarelo


Sinal dos cravos nas mãos


Terrível coroa de espinhos


E chagas em profusão


Eu não prego um Cristo assim


Com jeito de derrotado


Prego um Cristo de bombachas


Para salvar meu estado...



 



O meu Mestre é vencedor


Por isso que não me calo


Me sinto bem a vontade


No verso simples que falo


Pois se ele nascesse gaúcho


Pregaria de à cavalo...


E levaria a santa mensagem


Sem importar com a distância


Para salvar o índio crú


Mesmo no fundo da estância...



 



Eu canto um Cristo gaúcho


Brasileiro, sul americano,


Com chapelão de aba larga


E bombacha de dois panos...


Enquanto muitos carolas


Não tem fibra nem tutano


Meu Cristo venceu a morte


e hoje reina soberano


se fez tribuno no céu


defendendo o ser humano...



 



E a ti, meu peão de fazenda


Venderam um Cristo europeu


E por mais lindo que seja


É bem diferente do meu


Este não manda recado


Não te cobra o vil metal


Veio matar a tua sede


Pois só Ele é manancial


Muda o quadro da tua vida


E te desvia do mal...






Não é este da tua sala


Prisioneiro da moldura


Nem o que está na cruz


Enfeitando sepulturas


Meu Cristo é o dos altares


Dos cultos, das orações


Viaja nas águas das sangas


Nas coxilhas, nos grotões


E se faz mate sagrado


Nas cuias dos corações!



 


Ele é vida, seiva pura


É a solução para o mundo


Desde o monte mais alto


Ao abismo mais profundo


E pouco importam os templos,


Ou locais de adoração


Meu Cristo é general de guerra


Te põe vitória nas mãos


E é teu parceiro de viagem


Na estrada da salvação!!!



Nunca morrer assim

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

Nunca morrer assim


Pr Ari Pinheiro


 


Nunca morrer assim


De tédio se há tanto remédio


Nunca morrer de tristeza


Se existe tanta beleza


Nunca morrer de trabalhar


Se há tanta hora de folgar


Nunca morrer de amor


Que viver é suplantar a dor


Nunca morrer de chorar


Que a vida está no gargalhar


Enfim, nunca morrer


Que o mistério da vida


Reside em... Viver!!!


 


Minha mãe, eu e o picador de lenha

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Religiosa

Minha mãe, eu e o picador


Ari Pinheiro


 Eu era criança

E via minha mãe lançar mão do machado


E ir-se rachar lenha...



Ficava imaginando o que pensava


O que falava com Deus


Enquanto brandia o machado


Cada vez mais forte contra os troncos


De cerne cujo destino era o fogão...



Hoje eu sei que ela não picava lenha


Mas a cada machadada


Ia picando suas mágoas


Suas desventuras


Suas lutas...


Parecia perguntar ao Senhor


Porque tão pesado fardo


Para um corpo tão frágil...


Se algumas queixas sobravam


Vinham com as achas


E viravam fumaça no fogão...



Um dia também fui ao picador de lenha


E aprendi a deixar lá


Minhas raivas de adolescente


Minhas angústias


Minhas incertezas...


Meu primeiro psicólogo


Foi o picador...


Um dia dei a última machadada


E me fiz de viagem para o mundo...



Troquei o picador pelos comprimidos


De Diazepan, Hidantal e outras drogas


Que não tinham o mesmo efeito


Do velho picador de lenha


Da minha infância...



Foi assim até o dia em que Jesus me resgatou


E trocou todos os meus fardos


E comprimidos pela doçura de sua mensagem...



Hoje eu sei que o velho picador me preparou


A mente e o corpo


Para enfrentar as lutas de agora...


Só hoje posso entender como minha mãe venceu sem psicólogos ou remédios...



O velho picador de lenha


Continua ditando mensagens


Pelos recantos da memória


Enquanto Jesus Cristo sara nossas feridas


Com o seu sangue remidor...



Hoje, nem remédios nem picador,


Só a palavra de Deus


E Seu infinito amor


Substituem o som do velho picador!

Asas nos pés

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Religiosa

Asas nos pés
Pr. Ari Pinheiro



Se um dia a dor te visitar



E calar o teu canto interior



Clama à Deus defronte ao altar



Não te esqueças do Seu grande amor



Há tormentos que são provações



Clama ao Leão da Tribo de Judá



Que Ele vem com a vitória nas mãos



Num minuto vai te restaurar


Ouça bem, há um canto no ar



É o troar da Tribo de Levi                       



O Cordeiro acabou de chegar  



Deus de Guerra, Filho de Davi



Ele sabe tua vida de cor



Te escolheu bem antes de nascer



És herdeiro da glória de Deus



Teu destino é vencer e vencer...



Pouco importa se o mundo cruel



Queira ver teu barco naufragar



Meu Jesus te põe asas nos pés



Sobre as ondas tu vais caminhar...

Quando 12

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Autores

Quando


Ari Pinheiro



 


Quando caminhares só, pensando



que ninguém se importa...



 



Quando caminhares na multidão



e mesmo assim te sentires só...



 



Quando navegares contra os ventos e pensares sucumbir...



 



Quando remares na bonança



esquecido das lutas...



 



Quando te alimentares com fartura ou quando tiveres fome...



Quando fores misericordioso



ou quando fores injustiçado...



 



Quando espalhares amor



ou fores quebrantado...



 



Lembre-se que sempre,



na alegria ou na dor



há alguém que não te abandona,



não te esquece, não te larga



porque te ama incondicionalmente!



 



Não importa onde fores,



como fores ou com quem fores,



saiba que há alguém velando por ti porque tu és especial para Ele, o Deus de Israel!



Estranho

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

Estranho


Ari Pinheiro


 Estranho como gostamos


de juntar tralhas...


Tranqueiras que só


Atrapalham...


 


Estranho como gastamos


nosso dinheiro suado


naquilo que não é pão...


Como deixamos coisas boas


Escorregarem


das palmas de nossas mãos...


 


Estranho como é mais fácil


pagar propina que dar o dízimo...


Como é mais fácil


queimar dinheiro em fogos de artifício


que ajudar uma entidade carente...


 


Estranho como é fácil dizer “eu te amo”


e como é difícil tornar isso realidade...


 


Estranho ver bilhões de páginas


versando sobre o amor e ver o homem


cada vez mais desumanizado...


 


É realmente muito estranho que seja


tão fácil escrever sobre o amor, e seja tão


difícil alcançá-lo,


tocá-lo, vivê-lo em plenitude...


 


E o mais estranho é que pouca


gente estranha isso,


apesar de todo o mal que produz!!!


Mãe - Universo num verso

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Comemorativa

Mãe – Universo num verso


Pr Ari Pinheiro



 Mãe!



Universo num verso



Que brota da alma



Que a palma mais verde



Não pinta a esperança



De um verde tão verde



Que ao vento balança



Dançando em olhares



Entre a mãe e a criança...



 



Nenhum cordão



De ouro ou de prata



De qualquer quilate



Esmeralda ou diamante



É rico o bastante



Ou de importância tal



Para substituir



O umbilical



Que ao partir-se traz luz



Um santo renovo



Um sorriso na boca



Da alma do povo...



 



 



Estrada de luz que



Brota do ventre



Canteiro e semente



Barco e guarida



Mãe é verbo supremo



Num substantivo



Celestial lenitivo



Lavoura da vida



Onde Deus restaurou



A humanidade perdida!



Você é abençoado!

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Religiosa

Você é abençoado!




Se você tem comida na geladeira, roupa no corpo, um teto e um lugar para dormir... é mais rico que 75% da população do mundo.

Se tem dinheiro no banco, na carteira e alguns trocados guardados... está entre os 8% mais endinheirados do mundo.

 Se acordou esta manhã com mais saúde que doença... é mais abençoado que o milhão de pessoas que não sobreviverá esta semana.

 Se nunca experimentou o perigo da batalha, a solidão de uma cadeia, a agonia da tortura ou as pontadas da fome... está à frente de 500 milhões de pessoas no mundo.

 Se pode assistir a uma cerimonia religiosa sem receio de ser molestado, preso, torturado ou morto... é mais abençoado que 3 bilhões de pessoas no mundo.

 Se os seus pais ainda estão vivos e casados... você é muito raro.

 Se levanta a sua cabeça com um sorriso no rosto e é verdadeiramente agradecido... é abençoado, porque a maioria pode, mas muitos não o fazem.

 Se pode segurar a mão de alguém, abraçá-lo(a) ou até mesmo tocá-lo(a) no ombro... é abençoado porque pode oferecer a cura com o seu toque.

 Se pode ler esta mensagem, acaba de receber uma dupla bênção, porque alguém estava pensando em você, e mais: tem mais sorte que mais de 2 bilhões de pessoas que não conseguem sequer ler.

 Você tem tudo o que precisa, mas ainda assim reclama de muita coisa.

 Será que você tem agradecido a Deus pelo que você tem? Pense nisso!!!

 Conte as suas bênçãos e passe esta mensagem adiante para recordar aos outros o quanto somos abençoados.

Talvez 13

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Religiosa
Talvez
Ari Pinheiro

 

Talvez você tenha pedido para que Deus lhe desse um avião, mas você recebeu uma bicicleta;


Talvez você tenha pedido para que Deus lhe desse uma mansão nas Bahamas , mas você recebeu uma casinha em Ribeirão do Nunca;


Talvez você tenha pedido para que Deus lhe desse o dom de pastorear, mas você recebeu o dom de cura divina;


Talvez você tenha pedido para que Deus lhe desse uma conta bancária com um saldo de milhões, mas você recebeu a salvação da alma e a vida eterna!!!


 


lembre-se, Deus, uma vez que outra pode não dar o que você pede, mas sempre dá o que você precisa!!!


Desistir?

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Religiosa

  Desistir?
Procura-se o autor

Eu sei que você muitas vezes pensou em desistir da caminhada, eu próprio já agi assim...




   Eu sei que você está cansado de ver as injustiças sendo tratadas como virtudes, eu mesmo já me indiguinei com isso...




   Eu sei que muitas vezes você chora, pensando estar só no imenso mar do mundo, eu próprio já me senti assim...




   Agora pense comigo:




Desistir? 




E se Jesus desistisse no meio do caminho, quando levava a cruz para sua própria morte?




   Injustiça?




E se você estivesse no lugar de Jesus quando foi trocado por Barrabás?




   Solidão?




E se você fosse Jesus quando ele exclamou: Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?




   Agora lembre-se:




- Jesus está ao teu lado, não desista da caminhada, para que o sacrifício do mestre não seja vão!




- Lembre-se que Deus é o Justo Juiz e um dia há de julgar os bons e os maus diante do Trono Branco!




- Ao te sentires só, lembre -se que Jesus é o amigo de todas as horas, e, hoje, ao leres esta mensagem, conquistaste mais um amigo, ou seja, eu!



Ao te sentires só, mande um email para mim, que responderte-ei e anunciarte-ei coisas grandes que não sabes.

Ei, sorria 3

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Felicidade
Ei, sorria
Ei, sorria
Mas não se esconda atrás desse sorriso...
MOstre aquilo que você é, sem medo
Existem pessoas que sonham com o seu sorriso assim como eu
Ei! Ame acima de tudo,
amas a tudo e a todos
Procure o que há de bom em tudo e em todos
não faça dos defeitos uma distância e sim uma aproximação
Aceite!
A vida, as pessoas, faça delas sua razão de viver
Entenda!
Entenda as pessoas diferentes de você...
Suba...
Faça dos obstáculos degraus para aquilo que você acha supremo
Mas não se esqueça daqueles que não conseguem subir a escada da VIDA
Ei! Descubra
Aquilo que há de bom dentro de VOCÊ
Ei! Você... não vá embora...
Eu preciso dizer que te adoro
Simplesmente porque VOCÊ EXISTE!!!

Guarida

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Religiosa
Guarida
Ari Pinheiro
 

Quando tua vida

parecer mais uma cruz

quando tua noite

for sem lua e sem luz

corre prá fonte da vida

tu sempre terás guarida

no nome santo de JESUS!!!
Carregando