Poesias e Mensagens Virtuais

Mensagens de Francis Henrique Oler Pimenta

Reis e Piões

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

 


 


 


Reis e Piões.
Francis Henrique Oler Pimenta.

Na vida somos reis e piões, mas na maioria das vezes não sabemos quando podemos agir como tais, tudo se sujeita as ações de cada individuo, a vida é como um tabuleiro de xadrez. Como piões andamos somente pra frente protegendo pessoas que achamos que merecem nossa proteção, e como reis, nos escondemos das maiores ameaças que o caminho nos coloca, bastam saber como agir diante cada ameaça. Então não aceitas jogadas das quais outros opinam, pois opiniões alheias e errada fazem com que perdemos o jogo da vida. A vida esta pra ser vivida, e não para um jogo duvidoso, seja você mesmo, faça suas jogadas, pois quando menos esperar e por mais difícil e arriscada que seja a sua jogada, a vitória será somente sua.



Boa Jogada!

Sem sentido 2

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Depressiva
Sem sentido
Francis Henrique Oler Pimenta

Do que serve um sentimento se os sentidos não tem razão, do que vale um gostar se não tem sentido quem gostamos, não sei como aconteceu mais enfim, sei que nunca irei ter outra chance de tentar libertar de sua prisão, sinto o sopro do em vão, em meu pescoço, e as vezes tento entender o que quer dizer, mais não quero, a extração da presença já aconteceu, e não tenho mais vontade de atingir o ápice do que senti ou sinto, sei que no interior obscuro existe uma chama acesa que me fala de esperança, de que esta tudo em seu devido lugar, em que lugar? As vezes me pego querendo essa presença, mais ao mesmo tempo sinto que não é algo plausível que possa acreditar, se um dia acontecer de me deparar com o sentimento que não teve razão, então a razão nada mais será que o próprio sentimento de gostar.






Nunca sorria

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Depressiva
Nunca sorria
Francis Henrique Oler Pimenta

Não veja o mundo como uma loja de novidades e muito menos como um poço de felicidade, primeiro, felicidade não existe, o que existe são momentos felizes, e, além disso, esses momentos são somente para pessoas que podem pessoas privilegiadas ($$$). Eis o ditado... Quem pode, pode, quem não pode somente se sacode. Há ditados e ditados que realmente falam a verdades em enigmas, mas a ignorância, e a falta de cultura das pessoas as deixam cegas para ver o que mais tem de precioso na vida. Aprendi outro ditado... Nunca sorria a quem te sorri, pois quem te sorri lhe engana, e quem lhe gosta chora por ti. Então procure pessoas com índole superior, pois a maior dificuldade é você encontrar um Mundo de Cumplicidade e Comprometimento, que no mundo de hoje, não existe!



Falta de vida

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Vida
Falta de Oportunidades
Francis Henrique Oler Pimenta

Não sei quem sou, nem sei quem quero ser, na vida a oportunidade existe somente para privilegiados, não há uma regra onde pessoas de bem e honestas, consiga privilégios de uma vida de oportunidade. Hoje vejo que somente pessoas sem caráter e sem o mínimo respeito pelo próximo, conseguem ter oportunidades de uma vitória. Vitória que hoje nada mais é que uma usurpação de vidas alheias, de roubo de oportunidades de outras pessoas, e a inveja de pessoas não qualificadas para viver em comum. Hoje somente acredito que as três obrigações de um ser humano, hoje é tido como virtude, virtude de pessoas sem alma sem coração e sem compaixão. As vezes acho que o respeito, a honestidade, e a educação, não passa de conotações empostas por pessoas inconvenientes e de vida desregrada da sabedoria do próprio significado da palavra “AMOR”.



Em vão...

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Depressiva
   Em vão...
Francis Henrique Oler Pimenta

Sei como entrar na subtração da vida, pois a morte talvez seja a adição de uma vida sem sentido, e que nela esperamos a esperança do desconhecido, como algo que não é firmado, algo incerto, de tudo e todos, existe à vontade, mas não a ação de querer ser ágil ou ter agilidade, mas isso nada mais é do que o imprevisível tempo que não espera a vontade em que a vida nos coloca para lutar, lutar, pra que? Se tudo não passa de ações sem sentido e sem incentivo, nada existe de acordo com o que queremos e sim com o que os outros querem, vontade própria é para os privilegiados de um mundo obscuro e sem saída, com um labirinto extenso e que quem consegue sair acaba se denigrindo diante de pessoas que simplesmente te coloca mais no fundo do poço, mais isso é de se esperar, a vida em si não passa de uma prisão, prisão sem muros e sem fronteiras, somente a prisão dos pensamentos em vão, sem dignidade, sem emoção, e sem remorso.







 

Sem mais razão

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Depressiva

Sem mais razão
Framcis Henrique Oler Pimenta

Aqui, no quarto escuro, entre grossa brancura das paredes, escuto o som místico do silêncio, desnudo com forças interiores crenças do desconhecido de presenças que já se foram, não há mais ontem, hoje ou amanhã, carrego em mim o inútil tempo que se dissolve ao desfiar das horas incessantes, como numa vida incrédula de tudo e de todos, não existe firmamento onde se agarre para ao menos tentar acreditar no que sou, vivo de tal maneira que não existe algo plausível para pelo menos enxergar, ando pela escuridão sem ao menos esperar a chegada de onde quero chegar, tudo tão ausente, tão inexistente, que não tem o presente do dia em que me encontro, assim sou, objeto de algo que não existe, de algo intocável, de algo que entorpece os sentido da minha razão.





Carregando