Poesias e Mensagens Virtuais

Mensagens de Mazenildo Feliciano Pereira .

Sempre se preocupando com a vida alheia e esquecendo da própria

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

            Sempre se preocupando com a vida alheia e se esquecendo da própria
                                                Mazenildo Feliciano Pereira

 

Tem pessoas que não tem desconfiômetro, além de falarem mal, possuem uma visão extremamente negativa dos outros, só conseguem ver defeitos e erros etc.

Essas pessoas não enxergam o lado positivo, não conseguem ver a capacidade, e nem aceitar que as coisas dêem certos para as pessoas que os cercam.

Essa gente é do tipo SÓ VENHAMOS A NOS, VOSSO REINO..., e se for criticado então, a casa cai, deveriam sim, assumir que não lhes interessa o que os outros pensam ou fazem, pois, somente o que faz é o correto.

================================================================================
O pensamento negativo, a inveja, a cobiça, o individualismo não levam NINGUÉM A LUGAR ALGUM. Só destroem as pessoas, principalmente aquelas que não sabem fazer outra coisa a não ser falar mal dos outros, ou seja, estão sempre se preocupando com a vida alheia e se esquecendo da própria, são pessoas doentes e não podem ser consideradas sãs.

Segura na mão de Deus!

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Religiosa
                Segura na mão de Deus!
                         Mazenildo Feliciano Pereira



Tudo que não possue uma CONSISTÊNCIA, ao primeiro abalo pode desabar, assim, quando possuir dentro de si, a fraqueza a descrença e a falta de amor, segure na mão de DEUS e busque sua salvação, é o único que conseguirá te levantar e colocar novamente no trilho para que continue sua caminhada.

Como podemos falar de um problema, se não temos conhecimentos suficiente para tal?

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Como podemos falar de um problema, se não temos conhecimento suficiente para tal?
                     Mazenildo Feliciano Pereira



Muitas pessoas falam sobre determinado problema, não porque é um exímio conhecedor, ouviu de outras pessoas tirou sua própria conclusão e distribuiu como se verdade fosse as demais pessoas, essas, acreditando na versão emitem comentários que acabam inflamando ainda mais a situação.


Precisamos ter a certeza de determinada situação para podermos ter uma participação critica e consciente na nossa sociedade, desta forma, estaremos emitindo opinião de forma clara o objetiva sem omitir fatos que possam induzir os outros de uma falsa situação, assim estaremos nos educando como GENTE e nos reconhecendo enquanto SER com direitos e deveres, não somente com direitos e sem deveres.


“Você é livre para fazer as suas escolhas, mas é prisioneiro das consequencias" Pablo Neruda.

Puro egoísmo

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
         Puro egoísmo
                        Mazenildo Feliciano Pereira

 

Você já algum tempo, possui um relacionamento sério com uma mulher bem resolvida e por motivo de saúde fica no leito de um hospital por vários meses e essa companheira não arreda o pé e se priva de sua vida pessoal para acompanhá-lo durante todo o tempo e depois na sua recuperação sem exigir nada, pelo contrário, dando seu amor por inteiro. Você refeito e ainda exigindo alguns cuidados, acha-se um garotão e querendo recuperar o suposto tempo perdido, passa curtir as baladas com seus amigos, esses bem mais jovens que você, esquecendo da companheira e do compromisso selado no leito do hospital, colocando em risco o relacionamento, por puro egoísmo.

------------------------------------------------------------------------------------

Logicamente temos que nos relacionar com as pessoas, pois ficar só deve ser horrível, e por isso compartilhamos com os amigos  e familiares alguns momentos de felicidades, tristezas, festas etc..., agora, temos que saber conciliar as coisas, pois se temos a convicção que o pilar que nos sustenta é a nossa companheira, com absoluta certeza o maior tempo deve ser direcionado a ela, os amigos e familiares se realmente forem verdadeiros, saberão entender, a não ser que você queira viver a vida sem comprometimento. Comprometimento esse, que não soube reconhecer de sua companheira.

Precisamos urgentemente rever nossos conceitos!

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
     Precisamos urgentemente rever nossos conceitos!
                                  Mazenildo Feliciano Pereira

Exigimos perfeição em tudo dos outros.

Mas não nos olhamos no espelho, para ver nossas imperfeições.

Exigimos um padrão de ética e de moral dos outros.

Mas utilizamos sempre da lei de Gerson “Para tirar vantagem em tudo”.

Exigimos respeito dos outros.

Mas não temos, quando paramos nosso carro na vaga de deficientes, quando não paramos para que o pedestre passe na faixa, quando há um idoso em pé e continuamos sentados, etc.

Exigimos gentileza dos outros.

Mas no nosso dia a dia, não desejamos um bom dia, uma boa tarde e boa noite, simples palavras que não nos custam nada e que pode ser o diferencial para muitas pessoas.

Exigimos tolerância dos outros.

Mas quando nossa paciência é testada, às vezes até por motivos fúteis, reagimos de forma não adequada para a circunstância, atitude que não contribui em nada na resolução da situação.

Afinal, os valores que almejamos como ideais, só existem no mundo de nossas idéias e como metas a serem atingidas somente pelos outros e não por nós?


Afinal quem são os deficientes?

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
   Afinal quem são os deficientes?

 

Mazenildo Feliciano Pereira

 



São somente aqueles que possuem determinadas deficiências, tipo auditiva, cegueira, mental, etc.?


Engana-se quem pensa assim, pois, quantas pessoas: possuem uma audição perfeita e não fazem questão de escutar o que seu próximo tem a lhe dizer; possuem uma visão extraordinária, mas não quer enxergar o que as pessoas tem a lhes mostrar; é mentalmente sã, mas agem com extrema deficiência.


Esses deficientes esquecem: que escutar palavras que invade nossa alma é tão sublime, que podeser inesquecível, que a vida nos da a oportunidade de poder manifestar nossos sentimentos e emoções através de nossos olhares e para isso, temos que estar mentalmente aberto e deixemos que fluem o que realmente nosso coração deseja expressar, portanto deixemos de ser DEFICIENTES por ignorância, e nos espelhamos naqueles em que Deus trouxe ao mundo para nos transmitir amor, paz e perseverança através de suas deficiências.

Bola murcha ou bola cheia?

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Bola murcha ou bola cheia?
Mazenildo Feliciano Pereira

No nosso dia a dia, temos que transpor diversos obstáculos, cada um com suas dificuldades, se deixamos passar e nada fazemos, sentiremos incompetente e ficaremos com gosto amargo do fracasso e consequentemente iremos reclamar da situação, tornando-a pior, classificando-nos como autênticos bola murcha.

Não sejamos bola murcha, acreditemos no nosso poder de superação, inspiremos na história de um homem brasileiro, que nasceu sem seus braços, e trabalha em uma marcenaria, fazendo móveis e consertando armários, cadeiras etc., E de um nicaraguense que nasceu sem seus braços e traçou um objetivo em sua vida que era aprender tocar violão, dirigir e de se alimentar com seus pés. E também de um americano que nasceu sem seus braços e pernas que vive sorrindo e criando coisas em sua volta para sobreviver.

-------------------------------------------------------------------------------------------

Nas respectivas histórias, não tendo eles, nascidos sem seus braços e pernas, ambos desenvolveram habilidades com as outras partes de seu corpo e hoje vivem em perfeita harmonia, apesar de suas limitações.

Essas pessoas tinham tudo para serem bola murcha, mas, perceberam que os obstáculos seriam nas suas vidas oportunidades de crescimento, que poderiam trazer ganhos inestimáveis, então, resolverão levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima, tornando-se verdadeiros bola cheia.

E ai, quer continuar sendo Bola Murcha ou Bola Cheia? 

Que tipo de pais somos?

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Que tipo de pais somos?
    Mazenildo Feliciano Pereira



A novela “insensato coração” no tocante o relacionamento de mãe (Wanda) e o filho (Léo) nos dão a imensidão de um amor devotado na qual pode transformar uma criança em um ser extremamente egoísta, competitivo, imoral e ainda desfigurar uma família completamente.

O UOL Comportamento conversou com duas especialistas para analisar os erros cometidos por Wanda e como eles repercutiram de forma extremamente negativa na personalidade de Léo.

Preferência em família = espírito competitivo deturpado

Desde que Léo e Pedro eram pequenos, Wanda sempre pendeu para o lado do primeiro e fez questão de lapidar as características do filho que mais gostava (e com as quais mais se identificava), como a ambição. Pedro, como era de se esperar, acabou se aproximando do pai, Raul. Porém, o fato de Wanda sempre enaltecer as qualidades do filho predileto (mesmo quando não havia razão para tal) fez com que Léo se tornasse excessivamente competitivo, com sede de ganhar e de sempre levar vantagem –a preferência de Wanda o levou, tempo todo, a tentar superar Pedro em tudo. "Esse tipo de atitude também é prejudicial ao restante da família, pois não é raro que a mãe desautorize o pai, caso considere uma bronca ou um castigo excessivos para o seu favorito", comenta a psicóloga Suzy Camacho, de São Paulo, autora do livro "Guia Prático dos Pais" (Paulinas). O casal acaba dividido, com pai e mãe tomando partido cada um de um filho, criando uma guerra entre os irmãos.

Supervalorização do filho = mimo e soberba

Wanda sempre enxergou Léo com lentes cor-de-rosa, como se fosse perfeito. Cada qualidade sua –beleza e inteligência, por exemplo– era destacada ainda mais, o que fez com que Léo acreditasse que é superior às outras pessoas. Já os defeitos –falta de compaixão ou propensão a mentir– eram minimizados, o que sempre provocou conflitos com o pai e o irmão na trama. "Ela se esforçou a vida inteira para que o filho transmitisse outra imagem, a que ela idealizava", diz a psicóloga Suzy Camacho. Sob o aval da mãe, Léo se tornou um monstro de autoconfiança e soberba. Para Sônia Fuentes, doutoranda em Psicologia Clínica e mestre em Gerontologia pela Pontifícia Universitária Católica de São Paulo (PUC-SP), não é raro que um filho mimado se transforme em um adulto egoísta –e, tal qual um bebê, é imediatista e quer seus desejos atendidos imediatamente. "A infância não pode significar receber sempre tudo que se quer, e sem esforço algum, tal qual o bebê que, ao chorar, geralmente recebe não só o leite, mas o afeto junto. Se a mãe continua com a dinâmica de dar sempre tudo pronto e ignora a possibilidade do crescimento do filho, ela acaba prejudicando-o. A criança que recebe tudo prontamente vai querer sempre receber", explica Sonia. Segundo a especialista, ao longo da infância a criança precisa aprender a experimentar frustrações para alcançar um dia a independência, aprender que o mundo não gira ao seu redor e que a vida nem sempre vai lhe dar tudo aquilo que desejar. Se não internaliza isso, pode virar um adulto tirano.

Erros acobertados = ausência de limites

Passar a mão na cabeça de um filho que comete um erro é a pior coisa que uma mãe pode fazer, mesmo que ela acredite piamente que o está poupando de algum sofrimento. Wanda nunca puniu ou castigou Léo –e não estamos falando, aqui, de represálias físicas ou radicais. Ela nunca ensinou a ele o peso da consequência. Assim, cada delito foi varrido para baixo do tapete e escondido do pai, que nunca teve a chance de tomar uma medida adequada. "Quando a mãe acoberta um erro do filho, ele acaba se tornando reincidente. Na vida adulta, torna-se uma pessoa sem limites, capaz de tudo. E com muita autoconfiança, pois acredita que sempre vai dar um jeitinho em qualquer situação", afirma a psicóloga Suzy Camacho.

Supervalorização das aparências = perfil interesseiro e egoísta

De acordo com a psicóloga Suzy Camacho, até os sete anos de idade a criança aprende tudo pelo aspecto concreto, ou seja, mais vale o que ela vê do que o que ela ouve. Dessa forma, se a mãe tem uma forte ligação com a imagem, por exemplo, há uma tendência de ela também desenvolver isso. Em “Insensato Coração”, a trajetória de Wanda a coloca como uma mulher obcecada pelas aparências. Léo aprendeu a lição de casa direitinho com a mãe: tornou-se um sujeito interesseiro e egocêntrico. "Torna-se egoísta aquele que pensa que o mundo gira em torno de si, e se esquece que existem outras pessoas que também necessitam de bens materiais também, mas, principalmente, de afeto, carinho e ajuda. Os pais devem incentivar os filhos sempre a compartilhar brinquedos ou roupas, por exemplo. Entender que algumas coisas podem ser doadas, pois ajudarão outras pessoas", afirma Sônia Fuente

Falta de ética = amoralidade


Segundo a psicóloga Sônia Fuentes, a partir do momento em que a criança incorpora regras e começa a se adaptar ao mundo, vai tendo que acatar os princípios morais para sobreviver. "Para viver em sociedade, precisamos de regras e valores morais, caso contrário, a vida em grupo se torna até perigosa", diz. Léo, porém, já nasceu com traços de psicopatia. “Estudos recentes de neurociências observaram que a área das emoções como empatia é menos ativada nos cérebros de pessoas com transtornos emocionais, como os psicopatas”, avisa a psicóloga Suzy Camacho. Se a criança cresce em um ambiente amoroso, feliz, com pais que investem em um relacionamento harmônico, a tendência pode ser sobrepujada. "O ambiente faz toda a diferença", afirma Suzy. Wanda, com seu método peculiar e equivocado de disciplina e educação, ajudou Léo a colocar em prática suas características malignas. Na novela, a personagem Wanda nunca tentou transmitir a Léo valores como a generosidade ou honestidade. Ao contrário: ensinou Léo a ganhar a vida se aproximando das pessoas que lhe trouxessem algum benefício.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A novela é uma ficção, mas, tal circunstancia aplicada na vida real, independentemente de ser pela mãe ou pelo pai, podem sobremaneira reduzir as cinzas uma família, portanto, que tipo de família queremos para nós? A resposta é que determinará qual o tipo da estrada que iremos transitar.

Ser feliz ou ter razão? 2

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Ser feliz ou ter razão?
Mazenildo Feliciano Pereira


O que estamos vendo cotidianamente, são pessoas que preferem discutir para provar que tem razão, e para manter essa postura, não deixam cair as “mascaras”, não baixam as armas e insiste em levantar imensos e grossos muros da ignorância, assim, acabam destruindo toda e qualquer reação das pessoas que estão a sua volta.

Para ilustrar, uma história que reflete bem o assunto.

Oito da noite, numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos. O endereço é novo, bem como o caminho que ela consultou no mapa antes de sair. Ele conduz o carro. Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita.

Discutem. Percebendo que além de atrasados, poderão ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado. Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno.

Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados.

Mas ele ainda quer saber:

--- Se tinhas tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devias ter insistido um pouco mais...

E ela diz:

--- Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz.

Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Infelizmente, muitas pessoas preferem se desgastar em seu dia-a-dia, por motivos tão insignificantes apenas para demonstrar sua razão, independentemente de te-la ou não e esquecem que a humildade é a melhor arma disponível, portanto, faça uma recauchutagem em seu comportamento e não desperdice nenhum segundo de sua preciosa vida, pois, ela é tão bela e curta e a tarefa de vive-la é tão dificil que quando começamos a aprende-la, já é hora de partirmos.

Não quero dizer que não temos que ter nossa opinião, o importante é como a colocaremos para pessoas.

Eu já decidi... EU QUERO SER FELIZ e você?

Plante sementes do amor

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Plante sementes do amor
Mazenildo Feliciano Pereira



Em 1879 o americano Thomas Alva Edison inventou a Energia Elétrica. Desenvolvida prodigiosamente a partir da invenção revolucionária da lâmpada elétrica de filamento, (uma inovação tão simples e onipresente que muita gente não imagina o impacto que teve sobre a humanidade)

No dia 23 de Fevereiro de 1905 na cidade de Chicago-Estados Unidos, Paul Percy Harris fundou o Rotary International. E hoje esta presente em mais de 32.000 Clubes no mundo, por quase 170 paises com mais de 1.200.000. rotarianos. Justamente com o objetivo de incentivar a compreensão e as relações amistosas entre os povos de diferentes nações, através de diversos projetos.

Em 23 de outubro 1906, Santos Dumont sobrevoou Paris num novo tipo de aparelho - um avião batizado como 14-Bis, também projetado por ele, feito de bambu e linho, com 10 metros de comprimento, 12 de envergadura, peso de 160 quilos, motor de 24 HP. O brasileiro voou a 35 quilômetros por hora, numa altura de cerca de 2 metros do solo, cumprindo um percurso de 100 metros. "Um minuto memorável na história da aviação", estampou um dos jornais em sua capa do dia seguinte.

Em 10 de Setembro de 1946, Agnes Gonxha Bojaxhiu, a futura madre Tereza de Calcutá, em uma viagem de trem indo de Calcutá a Darjeeling, Madre Teresa recebeu a “chamada dentro da chamada”, que a levou a fundar a Ordem das Missionárias da Caridade. O conteúdo desta inspiração é revelado no objetivo e na missão que ela teria dado ao seu novo Instituto: “Saciar a infinita sede de Jesus sobre a cruz de amor e pelas almas, trabalhando para a salvação e para a santificação dos mais pobres entre os pobres”. A ordem cresceu e em novembro de 2002 superava os 4.000 membros, com mais de 697 casas fundadas em 131 países do mundo. Tudo isso, com um único objetivo, distribuir o amor entre as pessoas de todas as partes do mundo.

==================================================================================
Com certeza, todas essas pessoas, talvez não imaginassem que as sementes que lançaram fossem ramificar-se de forma tão gigantesca e que pudessem fazer o bem a tantas pessoas pelo mundo.

Pois é, todos os exemplos nos da uma concepção, de que qualquer iniciativa que por ventura tenhamos, mesmo que no momento pareça ser algo insignificante, se tivermos determinação nesse objetivo e cuidarmos com carinho e dedicação, provavelmente ao longo do tempo, possa significar muito para muitas pessoas., ou seja, ao plantarmos as sementes veremos que algumas germinaram quase que imediatamente; Outras sementes nos exigirão tempo e cuidado, mas o adubo do amor, do engajamento de todos nós, produzirá boas colheitas de serviços. Talvez até não chegaremos a ver a amplitude dessa semente lançada, mas só o fato de termos ajudado de uma forma ou de outra, já valerá a pena ter dado uma contribuição mesmo que pequena.

Como diz Madre Tereza “O que importa não é o quanto doamos, mas com quanto amor nós o fazemos”. Quando desempenhamos uma ação com amor, permanecemos mais profundamente enraizados nos corações e mentes daqueles a quem servimos.



Aparência acima de tudo!

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Aparência acima de tudo!
Mazenildo Feliciano Pereira



Certa vez um jovem adolescente foi tirar sua primeira habilitação para dirigir, após fazer o exame médico, ficou constatado uma pequena deficiência de visão, mas, o médico aprovou e solicitou que procurasse um oftalmologista para corrigir o problema.

O jovem não falou para ninguém, deixando o tempo passar, com isso, sua visão foi piorando, deixando de estudar, pois, não conseguia mais ler o que era escrito no quadro negro, como também tinha vergonha de procurar emprego, pois, não conseguia fazer os testes que era preciso, e sempre arrumava uma desculpa, quando era indagado pelos seus pais.

Face não possuir dinheiro para fazer cirurgia e nem para comprar lente de contato sempre dizia enxergar bem, para não ter que usar óculos, para se ter uma idéia, dirigia nos lugares somente onde conhecia, assim, não precisaria ler as placas indicativas, mas tudo isso, ele tentava a todo custo esconder das pessoas.

Quando necessitou novamente de renovar sua habilitação, após dez anos, foi vetado pelo médico, pois, já não havia mais a possibilidade de dirigir, em função do grau de dificuldade em enxergar e com a agravante da possibilidade de ter contraído uma doença chamada de toxoplasmose, na qual estaria contribuindo e muito para essa deficiência.

Imediatamente procurou um oftalmologista que ao examinar, constatou uma grande deficiência em ambos os olhos, obrigando-o a fazer outros exames para se certificar da doença, ficando constatado a toxoplasmose, o jovem ficou desesperado e perguntou ao oftalmologista se ele poderia usar lentes de contato, sendo afirmativa a resposta, inventou uma mentira para um amigo, que sensibilizado emprestou dinheiro, assim, pode manter sua aparência, comprou remédios para combater a doença, como também renovou sua habilitação, mas, não efetuou o devido pagamento ao amigo.

==================================================================================
A que ponto chega o ser humano, deixou de estudar, trabalhar, não deu a mínima importância numa amizade sincera e colocou várias pessoas em risco, tudo para manter uma aparência que somente ele enxergava.

Só venhamos a nós, vosso reino... 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Só venhamos a nós, vosso reino...
Mazenildo Feliciano Pereira



Quando temos algum tipo de necessidade, mesmo que as vezes achamos difícil de resolver, tomamos as rédeas da situação, saímos em busca de um meio para solucionar, assim; Quando temos sede de água, tomamos para satisfazer nossa vontade; Quando temos fome, fazemos algo para comermos; Quando possuímos um veiculo, não deixaremos acabar seu combustível, pois, se isso acontecer o mesmo não andará e para evitar, iremos até um posto de combustível para abastecê-lo; Quando recebemos nossa conta de consumo seja de água ou de energia elétrica, sabemos que temos que efetuar o pagamento, se assim não o fizermos, provavelmente ficaremos no escuro e sem água; Quando alguém de nossa família é maltratada não importando a forma, tentaremos a todo custo uma auto defesa; Quando pessoas queridas, passa por dificuldades, principalmente doença, transpomos quaisquer obstáculos para tentar ajudá-lo, etc...

E assim, somos nós, preocupamos somente em solucionar as dificuldades que no momento estão nos incomodando, não ficamos inerte esperando que caia do céu a ajuda para nossos problemas, vamos a busca das soluções, sem que para isso, tenhamos que ficar na dependência de alguém para nos ajudar e resolvemos de alguma forma.

Dedicamos com muito afinco em nossas defesas próprias, agora, porque não agimos da mesma forma para fortalecer nossa comunidade, buscando meios que possam a ajudar a melhorar nosso bairro, nossa cidade, cobrando de nossas autoridades, medidas concretas para a solução de determinados problemas.

Muitos dirão: esse trabalho não cabe a nós fazermos, é papel do Prefeito, Vice-Prefeito, Vereador, Juiz de Direito, Promotor de Justiça e do Delegado de Policia etc., é um tremendo engano pensar assim, nossa colaboração é de fundamental importância, pois, poderemos ajudar a transformar a sociedade em que vivemos e melhorar a qualidade de vida de nossa cidade, agora se ficarmos de braços cruzados, com certeza, os resultados que anseiamos provavelmente não será alcançado, assim, não adiantará nada reclamar, pois, deixamos nossa parte sem fazer.

Os leões fujões

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
   Os leões fujões
Mazenildo Feliciano Pereira


Ontem eu li uma estória muito curiosa, na qual faço uma adaptação.

Reza a lenda que há tempos no Brasil, dois leões fugiram da jaula de um velho circo. Eram o que se poderia chamar de leões descuidistas (ou seja, que se aproveitam do descuido alheio).

Os dois leões foram correndo pela mata adentro se separando na colina do Morro do Centenário, na Serra da Independência. Um deles adentrou-se na mata, o outro ficou na colina. O primeiro totalmente perdido foi parar no extremo a Asa Norte, a Fazenda do Riacho, onde foi enjaulado imediatamente pelos funcionários, para segurança da população local, e fim da escapulida do bicho fujão.

Passaram-se quatros semanas e nada de aparecer o segundo leão.

Falava-se do animal em tudo quanto é rádio, jornal, bares, e nada.

Ninguém sabia do paradeiro do danado.

Ao final das quatro semanas, o segundo leão chegou ao extremo da Asa Norte, a Fazenda do Riacho, onde também foi enjaulado pelos funcionários, colocando-o junto ao primeiro.

A diferença entre os dois era notável até para olhos desatentos. O que marchara direto a mata adentro estava magro e adoentado, e o que ficou na colina estava gordinho e com a juba exuberante.

Nesse momento, estabeleceu-se o seguinte diálogo entre os dois:

- Leão 1: Aonde você foi, para estar com essa aparência tão boa?

- Leão 2: Quando eu fiquei na colina, avistei vários prédios altos, enormes, que depois ouvi chamarem de Praça dos Três Poderes. Eu a cada dia entrava em um dos prédios, e me escondia numa salinha. E todo dia eu devorava duas pessoas. Foi assim durante todos esses dias.

- Leão 1: Mas e por que você fugiu, se em cada prédio havia fartura e ninguém suspeitava de sua salinha?

- Leão 2: Uma tremenda bobeira minha. Devorei a mulher do cafezinho de cada prédio. Foi aí que todos me descobriram, e tive que sair correndo pra cá.

Tiramos as nossas conclusões.

As atitudes de Deus para conosco, dependerá única e exclusivamente de nossas atitudes!

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
As atitudes de Deus para conosco, dependerá única e exclusivamente de nossas atitudes!
Mazenildo Feliciano Pereira

 Em nossas vidas, às vezes sentimos rasgar nossa pele, como se estivéssemos envolvidos por arame farpado e com extrema dificuldade em se soltar. E é nesses momentos de angústias que questionamos Deus, o porquê de tanto sofrimento!

Ficamos tão descrentes que não conseguimos enxergar o que Deus quer nos dizer, pois, os obstáculos que a nós são colocados, são para que possamos refletir sobre essas dificuldades, as dúvidas e os medos, assim, podemos ver, o quanto alto poderemos saltar e o quanto poderemos tropeçar.

Assim, observo trecho do filme Retorno da Fé, fala de James Moore, interpretado por Corbin Bernsen.

Frequentemente nós somos pegos e ficamos tão enroscados, tão amarrados nas linhas de nossa vida que esquecemos de chegar ao todo da trama do seu tecido.

Eu não sei quanto à vocês, mas quando me cubro com aquele cobertor numa noite fria de inverno, eu não quero desprender de uma única e desprezível e minúscula linha para me aquecer, não, eu quero todo aquele cobertor, inteiro, para me aquecer e confortar, (pois a sensação é de que), se eu não o tiver vou congelar.

E é assim que Deus trabalha, não linha a linha, mas com toda a tecelagem do seu calor e do seu Ser.

E para isso Ele só quer uma coisa, uma única coisa. Nossa Fé.

Nossa convicção irrompível e confiança infinita na jornada que Ele planejou para nós. Não importa o quanto sintamos desafiados por qualquer sombra escura que nos seja lançada. Não importa o quanto a dobradiça enferrujada rinja. Ele estará por nós, lutando contra aquela ferrugem que entrou em nossas vidas, nos cobrindo com aquele incondicional e eterno cobertor de calor e conforto.

Que Deus está conosco, não tenho nenhuma dúvida, agora, a Fé sem obras ela é morta, mas as nossas obras provarão que a nossa fé é viva e verdadeira, portanto, “AS ATITUDES DE DEUS PARA CONOSCO, DEPENDERÁ ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE DE NOSSAS ATITUDES”.

Deus e o homem 2

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Religiosa
   
 

Meu mundo é você!
Mazenildo Feliciano Pereira


Deus quando criou o mundo, disse: “Façamos o homem à nossa imagem e semelhança". Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e todos os répteis que se arrastam sobre a terra.


Passados centenas de anos, quando os homens se sentia todo poderoso, desrespeitando de forma acintosa seu criador, fazendo todo tipo de maldade, o Senhor via que todos os pensamentos do seu coração estavam continuamente voltados para o mal, arrependendo-se de ter criado o homem na terra, teve seu coração ferido de intima dor. E disse: " Exterminarei da superfície da terra o homem que criei, e com ele os animais, os répteis e as aves dos céus, porque eu me arrependo de os haver criado." Somente Noé e sua família, e alguns casais de animais e aves, encontraram graças aos olhos do Senhor. E assim, o dilúvio caiu sobre a terra, durante quarenta dias e quarenta noites, varrendo tudo da face da terra.


Milhares de anos se passaram e mesmo tendo Deus, feito a aliança com Noé que nenhuma criatura seria mais destruída pelas águas do dilúvio, e não haveria mais dilúvio para devastar a terra, continua com seu coração ferido, e vendo sua criatura, cada vez mais se afundando em ódio extremo contra seus semelhantes e acabando aos poucos com o mundo mediante suas atitudes, passando muito, mas muito longe de sua imagem e semelhança.


Mas sabe Ele, que a intolerância, o desrespeito a ignorância, a estupidez e os interesses alheios acima da dignidade humana, são atributos fortíssimos para que a criatura "O homem" se auto destrua e destrua toda a terra, cumprindo assim, sua aliança com Noé.


Trechos da mensagem extraída da Bíblia Sagrada.



A cada dia que Deus nos oferece, é nos dado outra chance para refletirmos o que já fizemos e o que ainda teremos que fazer. O que já fizemos, somos dignos de vossa presença ao nosso redor?. O que ainda vamos fazer, saberemos fazê-lo como preceitua as leis divinas?. Não podemos esquecer que somos seres humanos e imperfeitos, mas, se estivermos dispostos a entender e praticar os ensinamentos de Deus; estaremos dando um passo muito grande para a salvação de toda a terra.


Boa parte do problema somos nós!

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Boa parte do problema somos nós!
Mazenildo Feliciano Pereira


Em face dos acontecimentos que estamos vendo pelos jornais, revistas e televisão, se perguntarmos a algumas pessoas, qual a definição para ser um verdadeiro político, muitos poderão dizer: “O verdadeiro político deve ser FIEL ao POVO e às suas IDÉIAS, não a qualquer tipo de negociata... deve ser HONESTO, HONRADO e ÉTICO e não se dobrar nunca a acordos que visem o seu próprio benefício ou de seus correligionários, contra os interesses do povo a quem jurou defender !!! Deve estar sempre atento à definição NOBRE do termo política: 'a arte de bem governar os povos' e nunca às definições pejorativas: esperteza, astúcia, ardil, artifício, politicagem...”
 

É interessante vermos que somos defensores ferrenhos de valores éticos e morais. E, aqui eu pergunto: quais valores seriam estes? Pois, Queremos acabar com a fome no mundo, mas, na maioria dos dias e principalmente em dias festivos, esbanjamos tantas guloseimas, que a sobra acaba sendo jogada fora, e esquecemos que poderíamos enviar para um asilo, um lar de criança, ou até uma família que esta faminta, mesmo sendo uma medida paliativa.

Saímos a rua para pregar a PAZ entre as nações, mas não conseguimos fazê-la dentro de nosso próprio LAR. Criticamos determinadas ações e atitudes dos Governantes e de algumas pessoas, mas, não movemos uma palha para ajudar, e nos esbaldamos em criticá-los veementemente, pois é preferível ser estilingue. Queremos políticos honestos, porém muitas vezes corrompemos os agentes da administração para que a lei não seja aplicada em nosso desfavor. Exigimos saúde, mas, quando somos chamados a ajudar a prevenir determinadas doenças, nem sempre fazemos a parte que nos cabe. Exigimos uma boa educação e um povo educado, mas: a) em uma via publica damos preferência de passagem ao veiculo e não para o pedestre, e b) quando nossos filhos foram reprovados, buscamos a lei ou outros meios talvez não tão adequados para a APROVAÇÃO,

Neste momento me veio a lembrança do que diz o escritor João Ubaldo Ribeiro “nós vivemos num ambiente de lassitude moral que se estende a todas as camadas da sociedade e que esse negócio de dizer que as elites são corruptas, mas que o povo é honesto é conversa fiada. Nós somos um povo de comportamento desonesto de maneira geral, ou pelo menos um comportamento pouco recomendável". Como também o Filósofo alemão Friedrich Nietzsche: “Não existe no homem, nenhum instinto de bondade, de verdade ou de beleza. O que existe de fundamental, no ser humano, é a vontade de mando e de poder. "

Em tese seriam estes os valores que disfarçadamente a sociedade aprova?: O valor que nós damos ao "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço?" O valor que depositamos nos nossos desejos pessoais e nas nossas vontades de uma maneira tão absoluta e absurda que, simplesmente, esquecemos que não vivemos sozinhos "nesse mundão de meu Deus?" O valor que damos ao famoso jeitinho brasileiro que, não custa lembrar, só virou instituição nacional porque nós lhe damos vida com as nossas atitudes?. Sim, porque se formos honestos e verdadeiros com nós mesmos, somos obrigados a admitir que, no geral, esses são os nossos valores porque é assim que nós somos e é assim que nós fazemos, com raríssimas exceções. Os valores que almejamos como ideais, infelizmente, só existem no mundo das nossas idéias e/ ou como metas a serem atingidas pelos outros e não por nós”.

Na verdade, não sabemos exercer a democracia; não sabemos fazer valer nossos direitos, e não sabemos escolher nossos governantes. Não temos união (a não ser em momentos de grande comoção nacional, por um fato inesperado e em campeonatos de futebol na qual vamos aos estádios para torcer pelo time do coração) e nem costume de cobrar dos nossos vereadores, prefeitos, deputados, senadores, governadores e presidente, o cumprimento de suas funções como nossos representantes e serem eficazes. Alias, muitas pessoas si quer se lembram em quem depositou seu voto na última eleição.



Como diz ainda João Ubaldo Ribeiro “Ainda que Lula renunciasse hoje mesmo, o próximo presidente terá que continuar trabalhando com a mesma matéria prima defeituosa que, como POVO, somo nós mesmos”


Tenho a certeza de uma coisa, em curto prazo não conseguiremos mudar essas barbáries que estão cometendo contra nosso povo, mas se a partir deste momento ensinarmos nossos filhos o que é ter credibilidade, ética, boa fé, confiança mútua, amor aos nossos semelhantes, expressões tão execradas do vocabulário da sociedade da politicagem, conseguiremos dar aos nossos filhos a possibilidade de viver em um país decente, pois, com esses ensinamentos as palavras até então citadas seriam mais valorizadas e exercidas com maior frequência. Diz Dom Helder Câmara-Arcebispo de Olinda e Recife: “Quando você sonha, é apenas um sonho. Quando muitos sonham o mesmo sonho e o começo da realidade”.

QUE A SOCIEDADE E SUAS REPRESENTAÇÕES FORMAIS ACORDEM LOGO, ANTES QUE SEJA TARDE DEMAIS.

Uma coisa é certa, reclamar da situação a maioria é mestra, agora, o que você que esta lendo este artigo, já fez para mudar o problema que afeta diretamente sua vida? Provavelmente nada, não é? Então, boa parte do problema somos nós!

 

A engrenagem

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
                                  A engrenagem

Um agricultor possuía em sua fazenda um imenso reservatório de água na qual servia para irrigar a sua principal cultura, denominada por ele a cultura de ouro.

O agricultor estava tão concentrado no seu produto, que não dava à devida atenção à engrenagem do equipamento, que fazia o bombeamento da água para a irrigação, pois, fazia rangido, dando sinal de desgaste pela falta de manutenção.

O tempo passou, e o agricultor continuava a ignorar o recado emitido pela engrenagem, até que um dia na madrugada uma forte chuva caiu sobre a propriedade, a engrenagem travou, queimou o motor, deixando assim de fazer o bombeamento para a cultura, desta forma, a água subiu rapidamente no reservatório e começou a vazar destruindo toda a cultura do agricultor.

Ao chegar a sua propriedade, viu o estrago que a “chuva” havia feito na sua cultura, ficando desolado e incrédulo, mas, imediatamente acionou o seguro no intuito de ser ressarcido dos prejuízos, a seguradora acionou um perito para averiguar o porquê do ocorrido, ficando posteriormente constatado que a engrenagem do equipamento que bombeava a água, pela falta de manutenção, havia travado, ocasionando a queima do motor com isso deixou de bombear a água do reservatório. Com esse relatório, a seguradora não indenizou o agricultor que literalmente viu sua cultura de ouro virar lama.

----------------------------------------------------------------------------------------------

Em nossa vida, jamais poderemos esquecer que somente nós, somos responsáveis pela lubrificação das engrenagens das nossas vidas, se assim não entendermos, com certeza não iremos enxergar os problemas que estão ocorrendo ao nosso redor, assim, o que poderia ser algo de resolução rápida e sem transtornos, acaba se transformando num pesadelo que na maioria das vezes não tem solução,

Cada ser em si carrega o dom de ser capaz e ser feliz

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
   Cada ser em si carrega o dom de ser capaz e ser feliz
Mazenildo Feliciano Pereira

 

Ao defrontarmos com dificuldades, e antes de analisar a situação, colocamos como inabilitados para transpô-las, mentalizando pensamento do tipo; “EU NÃO VOU CONSEGUIR” “JÁ TENTEI, MAS NÃO DEU CERTO”, palavras que possuem um efeito devastador em quem a pronuncia; neste momento, chamamos para nós o efeito da inércia e com isso encerramos qualquer tipo de virada de pensamento e atitude, e com certeza seremos infelizes.


Vejamos bem o exemplo dessa situação!

Essa história aconteceu numa escola primária do estado de Michigan, Estados Unidos. Eu era supervisor e incentivador dos treinamentos que ali eram realizados e um dia vivi uma experiência muito instrutiva, conforme vou narrar:

Todos os alunos estavam trabalhando numa tarefa, preenchendo uma folha de caderno com idéias e pensamentos. Uma aluna de dez anos, mais próxima de mim, estava enchendo a folha de "Não consigo", “Já tentei, mas não deu certo”, fazer isso ou aquilo.

A esta altura, a atividade despertara minha curiosidade, e decidi verificar com professora o que estava acontecendo e percebi que ela também estava ocupada escrevendo uma lista de "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo”

Os estudantes escreveram por mais dez minutos e depois foram instruídos a dobrar as folhas ao meio e colocá-las numa caixa de sapatos, vazia, que estava sobre a mesa da professora. Quando todos os alunos haviam colocado as folhas na caixa, a professora acrescentou as suas, tampou a caixa, colocou-a embaixo do braço saiu pela porta do corredor, entrou na sala do zelador e saiu com uma pá, seguiu para o pátio da escola, conduzindo os alunos até o canto mais distante do playground. Ali começaram a cavar. Iam enterrar seus "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo”. Quando a escavação terminou, a caixa de "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo” foi depositada no fundo e rapidamente coberta com terra. A Professora então proferiu louvores.

- Amigos: estamos hoje aqui reunidos para honrar a memória do "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo”, enquanto esteve conosco aqui na Terra, ele tocou as vidas de todos nós, de alguns mais do que de outros. Que "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo” possa descansar em paz e que todos os presentes possam retomar suas vidas e ir em frente à sua ausência. Amém!

O "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo” estava enterrado para sempre. Logo após, a sábia professora encaminhou os alunos de volta à classe e promoveu uma festa. Como parte da celebração, a Professora recortou uma grande lápide de papelão e escreveu as palavras "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo” no topo, "descanse em paz" no centro, e a data embaixo.

A lápide de papel ficou pendurada na sala de aula e durante o resto do ano. Nas raras ocasiões em que um aluno se esquecia e dizia "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo”. A Professora simplesmente apontava o cartaz descanse em paz. O aluno então se lembrava que "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo” estava morto e reformulava a frase.

Naquele dia aprendi uma lição duradoura com aquela professora.

Agora, anos depois, sempre que ouço a frase "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo” vejo imagens daquele funeral da quarta série. Como os alunos, eu também me lembro de que "Não consigo” “Já tentei, mas não deu certo” está morto.

Autor desconhecido
-----------------------------------------------------------------------------------------------

Devemos tirar profundas lições dessa história e ter a certeza de que: “Cada ser em si carrega o dom de ser capaz e ser feliz”, basta, estarmos dispostos a livrar-nos definitivamente desses pensamentos negativos, e mentalizarmos a expressão “ Eu Consigo” “ Já deu certo”, se agirmos assim, a possibilidade de êxito nos nossos objetivos são enormes e a felicidade é conseqüência!

  

Cada um de nós compõe sua história!

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Cada um de nós compõe sua história!
Mazenildo Feliciano Pereira

Cada um de NÓS compõe a sua história, se conseguiremos ou não, dependerá do caminho que iremos escolher, e mesmo assim escolhido, não significará ser este o correto, talvez tenhamos que recomeçar e fazer todo o trajeto novamente, se isso ocorrer, Já saberemos que as dificuldades encontradas, servirão de base para tirarmos muitas lições positivas e para que elas não voltem a aparecer, temos que ter AÇÃO, é ela quem determinará toda a seqüência e despertará em NÓS uma vontade feroz no QUERER, a partir deste momento, o caminho ficará infinito e límpido, fluirão determinação e força de vontade, coragem, perseverança e otimismo, consequentemente, não se deixará abater diante das dificuldades, o que facilitará e muito a caminhada. Jamais esqueceremos que NÓS somos os protagonistas de nossas vidas, então somente NÓS, poderemos fazer dela uma linda História! 


 

Estamos preparados para as adversidades da vida?

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Estamos preparados para as adversidades da vida?

Mazenildo Feliciano Pereira

Viver é estar preparado para situações difíceis, agora, que ser humano se sente pronto para tal, diante de um problema inesperado?. Acredito que ninguém, mas, será muito importante, a forma como vamos encarar as dificuldades que irá fazer a diferença. O mais incrível é que justamente diante de situações adversas, muitas pessoas redescobrem o que tem de melhor e sabem que será preciso superar os obstáculos e perseverar, pois, a vida é uma sucessão de batalhas, no entanto, as reviravoltas do destino nos surpreende, há momentos: de calmaria, agitados, decisivo, é quando a vida nos cobra coragem, arrojo e um inabalável espírito de luta.

Claro que não é fácil, mas todo guerreiro sabe, que em nenhum momento a guarda deve ser baixada, pelo contrário, enquanto houver escudo de proteção diante de surpresas que surgem nos caminhos, as dificuldades nos deixarão mais fortes e todos os obstáculos vencidos será um aprendizado para que superemos novos desafios.

Tudo por interesse

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Tudo por interesse
Mazenildo Feliciano Pereira


 
 


 
Era uma vez, uma jovem bonita, simpática e extrovertida, filha de pais simples e trabalhadores, em função de sua beleza, os amigos incentivaram para que participasse de um concurso que seria realizado na cidade, a garota antes de aceitar, pediu permissão aos seus pais, que aceitaram desde que tudo fosse informado a eles, concordando com a decisão, a linda garota aceitou o convite. Mal sabia ela, que o sim, iria trazer uma alegria imensa para todos, pois, foi eleita a Miss de sua cidade.


 
A partir deste dia, sua vida iria mudar muito, teria ela, um ano para se aperfeiçoar na passarela e se manter em forma para disputar o concurso de Miss Estadual. Pessoas indistintamente se propuseram a ajudar, custeando as aulas de academia, passarela etc., era convidada para todos os tipos de festas, pois, sua presença abrilhantava os eventos.

 
A partir deste momento, seus pais começaram alertar a filha de possíveis interesseiros, mas a garota tranqüilizava-os dizendo para que eles não se preocupassem.

 
O tempo se passou e a Miss seguiu para a disputa Estadual, com todos os aparatos de estrela, e para alegria de todos, ficou em 2º Lugar como rainha. A festa foi geral, entrevistas para jornais, revistas, televisão etc., badalação total, e assim se seguiram por muitos meses. Um dia, após uma festa na casa de amigos, a rainha pegou uma carona, pois, o caminho era o mesmo para sua casa, a caminho, o veículo veio a colidir com um animal, ferindo-a gravemente, a qual posteriormente ficou constatada uma lesão no cérebro, que ocasionou problemas na fala e motora. A partir deste dia, tudo desabou, tanto a garota, quanto seus pais, avós, tios e tias sentiram na pele o descaso das pessoas que se diziam amigos, pois, no momento mais difícil que a família estava passando, somente estavam ali seus verdadeiros amigos, ou seja, seus familiares.


 
A partir do momento que deixarmos o anonimato e passarmos a ser celebridade, seremos o centro da atenção, agora, o dia que nossa estrela não estiver brilhando tanto assim, e percebermos que fomos deixados de lado, é porque na realidade nós nunca tivemos importância para as pessoas e sim, interesses.

 
 

O vôo que buscamos

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

O vôo que buscamos
Mazenildo Feliciano Pereira



Para um balão voar, precisa passar por um processo detalhado de construção, e no final, necessitará enche-lo de ar quente para subir. Se ocorrer algum contratempo, haverá uma análise minuciosa para encontrar o problema e posteriormente fazer o vôo com segurança. Nossa vida também é assim, se queremos fazer um vôo, para conseguirmos um objetivo, necessário se faz construir os meios necessários para alcançá-lo, mas, no caminho poderemos encontrar muitos obstáculos, nos obrigando talvez, voltar ao inicio do nosso projeto para não errarmos novamente, se assim entendermos, com certeza conseguiremos fazer o vôo que tanto queremos.


Deus e o homem 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

Deus e o homem
Mazenildo Feliciano Pereira


Deus quando criou o mundo,  disse: “Façamos o homem à nossa imagem e semelhança'. Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e todos os répteis que se arrastam sobre a terra.



Passados centenas de anos, quando os homens  se sentia  todo poderoso, desrespeitando de forma acintosa seu criador, fazendo todo tipo de maldade, o Senhor via que todos os pensamentos do seu coração estavam continuamente voltados para o mal, arrependendo-se de ter criado o homem na terra, teve seu coração ferido de intima dor. E disse: ' Exterminarei da superfície da terra o homem que criei, e com ele os animais, os répteis e as aves dos céus, porque eu me arrependo de os haver criado.'  Somente Noé e sua família, e alguns casais de animais e aves, encontraram graças aos olhos do Senhor. E assim, o dilúvio caiu sobre a terra, durante quarenta dias e quarenta noites, varrendo tudo da face da terra.



Milhares de anos se passaram e  mesmo tendo Deus, feito a aliança com Noé que nenhuma criatura seria mais destruída pelas águas do dilúvio, e não haveria mais dilúvio para devastar a terra,  continua com seu coração ferido, e vendo sua criatura, cada vez mais se afundando em ódio extremo contra seus semelhantes e acabando aos poucos com o mundo mediante suas atitudes, passando muito, mas muito longe de sua imagem e semelhança.



Mas sabe Ele, que a intolerância, o desrespeito a ignorância, a estupidez e os interesses alheios acima da dignidade humana, são atributos fortíssimos para que a criatura 'O homem' se auto destrua e destrua toda a terra, cumprindo assim, sua aliança com Noé.



Trechos da mensagem extraída da Bíblia Sagrada.



 

-------------------------------------------------------------------------


A cada dia que Deus nos oferece, é nos dado outra chance para refletirmos o que já fizemos e o que ainda teremos que fazer. O que já fizemos, somos dignos de vossa presença ao nosso redor?. O que ainda vamos fazer, saberemos fazê-lo como preceitua as leis divinas?. Não podemos esquecer que somos seres humanos e imperfeitos, mas, se estivermos dispostos a entender e praticar os ensinamentos de Deus; estaremos dando um passo muito grande para a salvação de toda a terra.

Aceitar ou não uma incumbência

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

 Aceitar ou não uma incumbência
Mazenildo Feliciano Pereira

Antes de aceitarmos ou não uma incumbência, deveremos analisar os hábitos e aprender com as formigas, pois, elas não possuem chefe, nem guia, nem governante. Apesar disso, no verão durante a colheita, cada uma delas, faz a sua parte no acumulo dos grãos, para não faltar no inverno.




Se conseguirmos raciocinar e interpretar o exemplo das formigas, seremos capazes de entender que a vida exige de cada um de nós, que sejamos prudente e responsável, sem que ninguém precise nos vigiar ou conduzir, portanto, aceita a incumbência, estará assumindo um compromisso importantíssimo, agora, se houver a necessidade de alguém cobra-lo o que esta a fazer, então, jamais deveria ter aceitado.


 

O amor verdadeiro de mãe pode restaurar tudo!

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Família

O amor verdadeiro de mãe pode restaurar tudo!

Mazenildo Feliciano Pereira

 
Certa vez uma família resolveu fazer uma reforma grande em vossa casa, a obra estava caminhando como o esperado, mas, em determinado momento, iniciou-se as discussões entre os irmãos a respeito do custo da obra, uns não aceitavam o que os outros estavam fazendo, pois, começaram a desvirtuar o projeto aprovado, atravancando o andamento da obra.



No período critico das desavenças, a matriarca reuniu todos e disse “Como vocês querem receber alguém em nossa casa, demonstrando amor, carinho, amizade, se não conseguem se entender entre si, cadê o perdão, o amor entre irmãos, o dialogo que existiu no inicio, agindo assim, não conseguirão chegar a lugar algum, deixemos o egoísmo de lado, ninguém aqui é melhor do que os outros todos são iguais, portanto, vamos agir e falar com educação uns com os outros, sempre ensinei a todos que o amor é peça fundamental para se conviver pacificamente, não vejo em nenhum de vocês a imperfeição, pois, para mim todos são perfeitos e dignos de representar nossa família!”.




 

Havia um silêncio profundo na sala, e aos poucos, os filhos se levantaram e abraçaram vossa mãe aos prantos, pedindo perdão pela forma que eles estavam se tratando, a mãe disse a eles “Filhos, nas minhas orações eu sempre solicitei para que Deus acalmasse vossos corações nesse período critico”, e Ele me disse “Querida filha, use o poder de mãe que lhe dei, eu estarei contigo no momento”, assim amados filhos esse perdão também é dado por Deus.



==============================================================



 

Como diz na letra da música Monte Castelo, “Ainda que eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos anjos sem o amor eu nada seria, é só o amor, que conhece o que é verdade, é bom e não quer o mal, não sente inveja ou se envaidece”. Assim, se entendermos que antes de tudo deveremos colocar o amor em primeiro plano, com certeza evitaremos milhares de desajustes em diversas áreas de nossas vidas.


 

Fazedores de crítica

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

Fazedores de crítica


Mazenildo Feliciano Pereira


Os fazedores de critica, em sua maior parte, são aqueles que não se pré dispõe a colaborar e são os primeiros a tecer comentários maliciosos que não acrescentam em nada, pelo contrário, somente traz aborrecimentos aos outros e esquece que é um prazer enorme estender as mãos, quando tantas outras se fecham e se recolhem sobre si mesmas, com problema que, por certo, seriam menores se compartilhados.


Antes de sair por ai distribuindo críticas, por algo que acha estar errado, analise se tem competência para fazer melhor, tendo, porque então não o fez ou ajudou a fazer? Não tendo, fique quieto, contribuirá muito para um ambiente saudável e feliz.

Esquivar-se, para se auto-proteger, vale a pena?

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

Esquivar-se, para se auto-proteger, vale a pena?


Mazenildo Feliciano Pereira


Muitas pessoas, quando deparam com situações embaraçosas e acredita  que o problema de alguma forma venha lhe prejudicar, esquiva-se para se auto-proteger e joga a batata quente nas mãos dos outros, achando que jamais será atingido, mas esquece que a qualquer momento a verdade aparece, ficando constrangedor sua situação.


 


“Querer sempre se esquivar das responsabilidades, tentando jogar nos outros a sua irresponsabilidade, é sinal de fraqueza mental, não de esperteza”.


Tudo ao seu tempo

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

Tudo ao seu tempo


Mazenildo Feliciano Pereira


Querer dar um passo maior que sua própria perna, é correr risco iminente, pois, poderá escorregar e se lesionar seriamente, ocasionando talvez, seqüela irreparável, portanto, vá devagar, não seja afoito, deixe que o tempo se encarregue de mostrar quem verdadeiramente você é; Olha, isso pode acontecer com uma rapidez que às vezes nem imaginamos.


 

A cortesia é algo simples, mas tem muito impacto

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão

A cortesia é algo simples, mas tem muito impacto

Mazenildo Feliciano Pereira

 


A vida nos da a oportunidade de poder manifestar nossos sentimentos e emoções, para isso, temos que deixar fluir o que realmente nosso coração deseja expressar.


Dizer palavras que invade a alma de qualquer ser humano é algo tão sublime, que pode ser inesquecível para quem recebe.


 Assim, não importa se conhecemos ou não a pessoa, cumprimente-as, com um belo sorriso, desejem um BOM DIA, uma BOA TARDE, uma BOA NOITE, desejem ainda, a sua felicidade. São detalhes que não custam absolutamente nada, mas poderá valer muito para alguém que naquele exato momento necessitava desse simples gesto de cordialidade.


 Portanto, a boa vontade começa conosco, basta olharmos além de nós mesmo e praticarmos a cortesia constantemente com os nossos semelhantes, com certeza a reciprocidade será a mesma, pois, essa foi uma das maneiras que Jesus Cristo usou para explicar como devemos tratar as pessoas à nossa volta: “Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam. Esta e a lei e os profetas.” (Mateus 7-12)


 Devemos lembrar sempre que praticar a cortesia é algo simples, mas tem muito impacto.

Mensagens não entendidas

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Paz

Mensagens não entendidas

Mazenildo Feliciano Pereira

No final de cada ano, seja no natal ou no ano novo, milhares de pessoas de toda parte do mundo enviam variadas mensagens, extraídas do fundo de seus corações, creio eu, usando as mais belas palavras para expressar seus sentimentos e desejos.



Entendo, ser este o momento máximo de compreensão, do entendimento e de confraternização entre os homens de toda as terra. É o instante em que todos são levados a esquecer suas diferenças e suas mesquinharias em nome do AMOR.



Se o mundo inteiro envia mensagens de amor aos seus semelhantes, então porque esse mundo todo se vê dominado pela violência. Homens, mulheres e crianças são assassinadas, impiedosamente, sob os mais diversos motivos. Derrama-se o sangue de inocentes, de pessoas, cujo único pecado é o desejo de viver, intensamente, de amar, de fazer o bem. Não se lhes permite sequer concretizarem o velho sonho de apenas viver em paz!


Ou seja, os homens após o período de reflexão, continuam a conservar seus corações cheios de temores, desconfianças, inquietações e angústias, rancores e ambição, incompreensões e egoísmo!. Esquecendo rapidamente das mensagens que lhe foram enviadas ou que enviou.


Somos sabedores que Jesus trouxe ao mundo sua mensagem de caridade, de amor, paz e perdão e que a felicidade plena que a humanidade espera só será alcançada quando nós aqui na terra cumprir a súplica de São Francisco de Assis que Diz:  “Onde houver ódio, que eu leve o amor. Onde houver discórdia, que eu leve a união. Onde houver ofensa, que eu leve o perdão. Onde houver dúvida, que eu leve a fé. Onde houver desespero, que eu leve a esperança. Onde houver tristeza, que eu leve a alegria. Onde houver trevas, que eu leve a luz”. Será que lembramos das palavras de Jesus somente ao findar de cada ano? Acredito que não, então aproveitemos vosso ensinamento e usemos todos os dias para enviar mensagens, assim quem sabe os homens se tornam mais sensíveis à expressão, de suas palavras, pois o conteúdo de vossa mensagem não tem penetrado plenamente em seus sentimentos e emoções.


Precisamos acreditar, que a cada dia a humanidade está preste a cumprir a súplica de São Francisco de Assis, havendo assim o mútuo entendimento entre as nações, e uma Paz duradoura e próspera.

Carregando