Poesias e Mensagens Virtuais

Mensagens de William Vicente Borges

O ventre de nossa mãe

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Comemorativa


O VENTRE DE NOSSA MÃE
William Vicente Borges


 


O ventre da nossa mãe
Incubadora dos milagres de Deus.



É no  ventre da nossa mãe  que Deus nos forma.
Desde o ventre da nossa mãe  Deus nos observa.
É no  ventre da nossa mãe  que Deus nos escolhe.



O ventre da nossa mãe
Incubadora dos milagres de Deus.



Benditos somos mãe,
Frutos de teu ventre.



É No ventre da nossa mãe
Que nosso propósito é traçado
E se saímos do caminho
É por que abraçamos o pecado.



O ventre da nossa mãe
Incubadora dos milagres de Deus.



Nele estremecemos ainda informes
com o pulsar Do Espírito de Deus
que nela habita e nos recobre.



Bendita seja nossa mãe.
A minha e a tua.
Aquela que embalou nosso berço
Com a força do coração.



O ventre da nossa mãe
Incubadora dos milagres de Deus.



O ventre da nossa mãe
Da onde Deus nos chamou.



...


Depois das feridas curadas

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor


Depois das feridas curadas
William Vicente Borges


Quem sabe depois das feridas curadas
nos encontraremos outra vez
naquele lugar que ficou no passado
e assim olharmos um nos olhos do outro
e com candura ver que de alguma forma
tudo foi surpreendentemente bom
e que os dois aprenderam muito sobre
questões antes desconhecidas.
Quem sabe depois das feridas curadas
eu possa dizer a você que nunca te esqueci
que cada momento que estivemos juntos
estiveram guardados num lugar secreto
nos arquivos do coração
dizer que os sinais da sua existência
ficaram tatuados em minha alma
e que por mais que um dia trouxe outro dia
a sua presença sempre fora sentida mesmo
separados os dois pela maior das distâncias.
Quem sabe depois das feridas curadas
possamos ouvir nossas canções prediletas
e até dançarmos como fazíamos antes
só para tirar aquele grande nó deixado
na garganta, o nó que infelizmente persistiu
iríamos até rir, principalmente um do outro
e mesmo que lágrimas se misturassem aos risos
enfim averiguaríamos que o que aconteceu
tinha que acontecer como aconteceu.
Quem sabe depois das feridas curadas
iremos contar nossas novas histórias
histórias do depois das dores
falarmos dos encontros, ou de como
fomos encontrados por aqueles novos
protagonistas que nos acolheram com amor
e nos deram os ombros para chorar e
passaram bálsamo em nossas feridas
recém abertas e ainda bem doloridas
e assim sermos agradecidos porque em meio
a tribulação encontramos conforto, paz,
segurança e um novo ponto de partida
para recomeçar.
Quem sabe depois das feridas curadas
estaremos mais aptos para entendermos
quem de fato somos, e descobrirmos
finalmente que vivemos o melhor
dos momentos de nossas vidas
sem estarmos emocionalmente
preparados para mantê-los para sempre
e então chegarmos mais perto dos
nossos corações como nunca tivemos
realmente a chance de chegar.
Quem sabe depois das feridas curadas
enxerguemos um ao outro do melhor
ponto de vista e somente contemplarmos
o melhor de nós dois, e isto, sem acusações
rancores ou mesmo ofensas vãs.
Ao ponto de podermos vislumbrar um
novo caminho, uma ponte de amizade
que perdure, onde nos alegraremos
com as conquistas e choraremos as perdas
Pois com toda certeza os erros que abriram
feridas tão mortais que doeram tanto
e por tanto tempo não iremos cometer
nunca mais.
Pois nunca podemos esquecer
que as pérolas nascem de feridas curadas.
Quem sabe...

Prossigo

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Religiosa

Prossigo
William Vicente Borges

Prossigo
Subindo os montes
Atravessando vales
Nadando em rios
Vencendo mares.

Então alguém chega
E  me diz: para!
Então alguém chega
E me dá uma rasteira
Então alguém chega
E me machuca
De todas maneiras.

Prossigo
Os dias são difíceis
Vejo muitos ficarem
A margem da estrada
Uns chorando
Uns morrendo
E outros rindo.

Não irei parar
Não irei desistir
Quanto mais avanço
Mais próximo fico
Vale a pena a caminhada
Estou prosseguindo.

Prossigo...

“ Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” (Filipenses 3. 14)

Mais do que nunca

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Religiosa
Mais do que nunca
William Vicente Borges

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
Estou no deserto com sede
E as fontes secaram
Vejo os pássaros mortos
Pelo caminho e homens
Moribundos que não passam
De esqueletos andantes.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
A tempestade está terrível
Há muitos no barco e todos
Estão com medo
Inclusive eu. Há raios e trovões
E gritos e desespero
E ninguém quer se afogar.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
Estamos todos sentados
Em um monte de lixo.
Comendo alimentos podres
E os abutres esperam que
Que logo morramos.
Ninguém espera mais nada.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
As pessoas mais parecem “zumbis”
Mortos vivos se entregando
A “tudo” o que aparece e que
Parece ser alguma coisa e não é.
Os olhos estão sem brilho e ninguém
Sabe para onde ir.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
Os que me cercam estão perdidos
Olham para o céu e só vêem nuvens
Mas tudo é cinza, tudo é sem cor
E ninguém muda ninguém quer mudar
Ninguém ouve o “chamado”
Ninguém quer ouvir nada.
Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
A pele está cheia de chagas
Coçamos com cacos
As moscas nos rodeiam
Há um rosto sem expressão
Uma não vontade tremenda
De não estar em lugar algum
E de pedir para morrer.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
Nestes conflitos internos
Um cenário que nunca muda
Minha alma é um troféu
Que o diabo quer mais que
Qualquer outra coisa.
E ele espera que eu me corrompa.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
O meu Deus Todo Poderoso
Dos séculos antigos e vindouros
Nele que há Vida abundante
E que me presenteia e a qualquer
Um que invoque seu nome.
Tem de ser agora, Agora!

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
Pois sei que és um Deus de amor.
Não me quer assim
Não nos quer assim
O sucesso de satanás é a
Minha indecisão.
Mas eu decido.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
Eu não preciso deste mundo
Cheio de hipocrisias
Onde os amigos acusam
E nos deixam pior que
As próprias pústulas
Que incendeiam o corpo
Nu e cinzento.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
Aquele que se levante
E deixa a morte comendo poeira
Aquele que aplaina qualquer
Caminho torto e nos
Coloca em lugar seguro
A seu tempo
A seu contento.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
Preciso daquele abraço
Tão terno e doce como
O abraço de mãe em
Recém nascido.
Que cantarola canções de ninar
E faz a alma acalmar.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
Aquele que me dá liberdade de
Ser  quem sou e  como sou
Que ri de meus planos e que
Me sacode quando estou
Perdido em descaminhos tais
Onde o ridículo é reflexo
Da minha vã maneira de viver.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
Preciso deste socorro
Desta mão Poderosa
Desta palavra que incendeia
O coração e que cicatriza
As mais cruéis feridas da alma.
Dele que é bom o tempo todo
E que não se esquece de mim jamais.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.
O que sopra a solidão para longe
E se coloca ao meu lado
Enxugando toda lágrima que ainda
Possa teimar em correr.
Que restitui o que foi perdido
Tantas vezes forem necessárias
Só para me ver sorrir.

Eu preciso de Jesus
Mais do que nunca.

Por todas as noites

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor
Por todas as noites
 William Vicente Borges

Por todas as noites que eu estiver ao teu lado, eu me lembrarei de todas as noites que desejei que estivesse comigo. Lembrar-me-ei das noites em que abraçando o travesseiro o inundava com lágrimas diante de uma solidão que não parecia ter mais fim, diante de uma angustia que me fustigava sem misericórdia. Por todas as noites em que estarei te abraçando meu amor, e sentindo teu calor, me lembrarei das noites de frio e desespero que assaltavam meu coração com incertezas tão cruéis e inimagináveis que me levavam a uma extrema apatia que aos poucos me adoecia. Por todas as noites em que repousarei minha cabeça em teus seios macios para dormir feliz, me lembrarei de cada noite que não consegui dormir sentindo a sua ausência a me consumir pouco a pouco, assim como cupim na madeira, devorando-a por dentro. Devorando a minha vontade de viver, devorando a minha sanidade, a minha razão de ser e de existir. Por todas as noites em que eu sentir a tua pele macia a me esquentar em nosso leito de felicidade, me lembrarei dos lençóis fora do lugar, desarrumados pela minha inquietação, do revirar para lá e para cá, te procurando, mas não te achando, onde minhas mãos tateavam a esperança, mas nada a encontrava. Por todas as noites em que eu sentir o teu perfume a inundar o nosso quarto de alegria, eu irei lembrar das madrugadas insossas diante de um aparelho de TV, assistindo sem vontade alguma algum filme reprisado pela undécima vez. Por todas as noites em que eu sentir as tuas mãos desgrenhando meus cabelos, eu irei lembrar das noites passadas em devaneios, num tédio absurdo, alternadas por visitas, sem sentido, a geladeira, procurando algo que substituísse a minha opressão. Por todas as noites em que teus pés encostarem-se aos meus, eu irei me lembrar das noites com os meus pés descobertos e com meias grossas, tentado desesperadamente se esquentar, mas sem conseguir. Das noites onde tudo congelava inclusive minha alma, que sucumbia ante as incertezas que se apresentavam diante de mim. Por todas as noites em que você me acordar para pedir um copinho de água, eu irei me lembrar das noites em que ouvia o galo cantar da minha janela sem ter a mínima chance de pegar no sono, das manhãs que eu não precisava acordar, por que não era preciso. Por todas as noites em que você olhar pra mim e sorrir, eu vou lembrar de cada noite em que minha vontade era tomar todos os calmantes do mundo e pelo menos descansar um pouco, pelo menos amanhecer com menos olheiras, deixar de parecer um zumbi no dia seguinte. Por todas as noites em que dormirmos de “conchinha”, eu vou lembrar das noites em que dormi abraçado por um polvo, cujos tentáculos me apertavam o peito fazendo meu coração bater mais forte, onde minha respiração parecia falhar, onde quando o sono chegava era entrecortado por pesadelos infindos. Por todas as noites em que eu tocar teus lindos cabelos eu irei me lembrar das noites onde minhas mãos ficavam perdidas no vazio de sonho impossível. Onde minhas mãos se ressecavam diante da idéia de ter apenas uma cama vazia para sempre. Por todas as noites em que sentir teus lábios me desejando bons sonhos, eu irei me lembrar das noites raras onde tinha o consolo de sonhar com o amor, de sonhar com lugares nossos, com momentos paradisíacos, pois no fundo do meu inconsciente estava escrito que qualquer lugar seria um paraíso se você estivesse ao meu lado. Por todas as noites em que você me abraçar espremidinho, eu irei me lembrar das noites sem aconchego, sem razão de viver e de existir, das noites na frente de um computador pessoal frio que só podia me emprestar seus serviços a fim de eu compor mais uma poesia que fizesse me sentir ao menos mais vivo. Por todas as noites em que eu ouvir você me dizer que me ama, eu vou me lembrar de cada noite em que desejei ouvir você, mesmo que fosse praguejando comigo. Ouvir tua voz, cada som que saísse, cada palavra dita. Das noites em que desejei ficar conversando com você amenidades até o dia amanhecer. Por todas as noites em que estivermos juntos nesta cama preparada para o nosso amor, eu vou me lembrar de todas as noites sem carinho, sem amor, que eu tive que passar. Por todas as noites em que teus olhos olharem para os meus, me lembrarei de todas as noites que avermelharam meus olhos e me fizeram sentir todas as dores corporais que se pode sentir tendo sobre si o peso da sofreguidão.
E por todas as noites que estarei com você, quero me lembrar de todas aquelas em que você não estava, só para lembrar a minha alma que nunca mais a nossa cama irá ficar vazia. Por que quando você for para a cama eu vou também, ficar com você, amar você, beijar você, sonhar com você. E quando o dia amanhecer olhar para o lado ver teu rosto e sorrir para Deus e agradecer.
Por todas as noites então serei teu e tu serás minha. Por todas as noites que ainda tivermos para sermos felizes pelo resto das nossas vidas. 

Dizer eu te amo

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor


Dizer eu te amo
William Vicente Borges

Dizer “eu te amo”
Exige coragem
Mas para alguns
Só maquiagem

Dizer “eu te amo”
Exige ternura
Mas para alguns
É pura frescura

Dizer “eu te amo”
Exige verdade
Mas para alguns
Só maldade

Dizer “eu te amo”
Exige sentimento
Mas para alguns
Só algum intento

Dizer “eu te amo”
Exige coração
Mas para alguns
Só maquinação

Dizer “eu te amo”
Exige amor
Mas para alguns
Só gotas de suor

Dizer “eu te amo”
Exige-me tanto
Que ao lhe dizer agora
Não contenho o pranto.
   

Oração pelo amigo 2

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amizade
Oração pelo amigo
William Vicente Borges


Pai Celestial hoje humildemente

Venho lhe pedir pelo meu amigo

Algumas dores tem lhe incomodado

Alguns fardos têm sido muito pesados


Eu estou tentando ajudar

O que é apenas retribuição

Pois em tantas dores que eu passei

Ele sempre me estendeu a mão.


Pai Celestial, peço a tua ajuda

Conceda-me a resposta, por favor,

Meu amigo está chorando

E isto me causa muita dor


O possível por ele, tenho feito

Mas o impossível é contigo

Por isto esta minha oração

A ti que também é amigo


Pai Celestial de a ele consolo

Tira-o do poço da depressão

Pois este meu amigo

É muito mais que um irmão.


Ele nunca me disse não

Nunca esteve a me julgar

E mesmo quando eu errei

Ele soube me perdoar


Quando começou esta amizade

Não consigo lembrar

Só sei que depois de tanto tempo

Como valeu o encontrar


Por isso Pai Celestial

Ouça, receba meu pedido

E já neste dia abençoa muito

este meu querido amigo.

A confraria dos desiludidos

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor
A confraria dos desiludidos
 William Vicente Borges

Tem gente cheia de ódio
Vivendo de gambiarras emocionais
Onde sua vida é um grande auto-engano
Seus pensamentos são uma elucubração
De atos que de tão conscientes são loucos

Sua existência provém dos pingos
Irritantes de uma história de invejas
Onde causar a infelicidade é o grande prazer
Estes jamais viram a Deus, mesmo
Que entusiasticamente dizem que crêem

Estão sempre trilhando o caminho da antipatia
E paz é uma palavra que os mesmos desconhecem
Porque nunca viveram a paz que alenta
São como tigres prontos a estraçalhar
Suas vítimas. Mesmo que tenha seu DNA

Eles formam a confraria dos desiludidos
Que nunca viveram, não vivem e nem viverão
Pois se acham normais e todos os demais são loucos
Como porcos cujo natural é a lama
E todos os demais limpos, estão errados.

São almas nojentas vivendo em estado de ódio
Cuja mente é inspirada pelo inferno
Uma existência é triste e amarga
E por mais que dêem presentes no natal
Continuarão sendo sempre o que são: baratas.

 

Feliz Natal de novo

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Comemorativa
    Feliz Natal de novo
William Vicente Borges


Feliz natal de novo
um presente de novo
um sorriso de novo
um abraço de novo

Feliz natal de novo
como sempre se quis
Jesus nasceu
trouxe tudo novo
novo modo de ser feliz

Feliz natal de novo
com alegria e humor
e assim que se repitam
ainda muitos natais
para demonstrar meu amor

O sacrifício do coração

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor
Mensagens e poemas  
 O sacrifício do coração
 William Vicente Borges

Se eu errar no tempero
Finja que ficou bom

Se eu manchar a camisa
ria do contraste

Se hoje eu esquecer de dizer
o quanto te amo
não esqueça

As vezes, só as vezes
Eu preciso do teu sacrifício

Já disse o quanto você é importante?
Cada palavra que me diz
Cada olhar que me dá
Tudo me transforma por dentro

Se eu disser algo sem pensar
Então pense
Que eu disse sem querer
Porque foi

Se eu por acaso me atrasar
Que a sua calma me conduza
Para o próximo momento

Já disse que não sei viver sem você?
Cada minuto ao teu lado
Cada carinho apaixonado
Tudo tem uma luz única

Se eu não conseguir entender
Algo que por acaso diga
E a irritação me visitar
Nesta alma imperfeita

Apenas erga a tua mão e
Me ajude a andar ao teu lado

Pois meu coração a muito tempo
Já foi imolado no altar do nosso amor.

A força do amor 9

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor
   

A força do amor

 William Vicente Borges

 

Imagina o maior dos pesos

A mais amarga decepção

A mais lacrimal saudade

Imagina a solidão respirada

 

A imagina o mais impetuoso vento

As mais furiosas ondas

Os inimigos mais cruéis

Imagina as línguas mais inflamadas

 

Mas existe uma força maior

Que faz dos maiores pesos, plumas

Da mais amarga decepção, superação

Da mais lacrimal saudade, doce lembrança

Da solidão respirada, aconchego

 

Uma força tão especial

Que acalma as ondas

Que confunde os inimigos

E que cala as línguas

 

Uma força que só faz bem

Que sonhos realiza

Que nos conduz em segurança

Que nos faz sorrir também

 

É a força do amor

Que nem todos têm

amar é mandamento

É lícito e convém

 

A força do amor

Só nos traz alegria

Tudo o que precisamos

Para iluminar nosso dia.

Amor ecológico

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor

 Amor ecológico
William Vicente Borges

 


O amor é uma árvore que desponta
No coração de quem sonha

O amor é uma árvore que se enraíza
No coração de quem sente

O amor é uma árvore formada
No coração de quem sofre

O amor é um fruto maduro
No coração de quem sabe

O amor é um fruto com semente
No coração de quem vive

O amor é uma semente plantada
No coração de quem ama

Portanto a todo custo
Vamos preservar o amor
 

De um a dez

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor

   De um a dez


William Vicente Borges

Posso de um a dez
Descrever o meu amor
Por você:

Um: Não vivo sem você
Dois: Obrigado por me amar
Três: Meus beijos são só teus
Quatro: O tempo todo penso em você
Cinco: Jamais irei partir
Seis: Nunca largarei tua mão
Sete: Te desejo mais quer tudo
Oito: Só lhe darei felicidade
Nove: Você é o tema de minhas poesias
Dez: Leia de novo a número um

É assim 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor
É assim
William Vicente Borges

É assim, você me aparece de repente
e tira totalmente meu chão.
Eu tentei ficar na minha
corri deste sentimento que surgiu.
mas eu me vi mergulhado em amores.
Agora me apaixonei demais.
E o pior é que você nem se dá conta
Do que fez comigo.
E continua assim me enchendo destes carinhos
E eu pareço um menino que não sabe de nada,
Eu antes de você achava que sabia.

É assim, eu até tentei me esquivar
mas como. se você é um vulcão
Em erupção, se você é um furacão.
Mas olha só, tente compreender
Nossas diferenças, são tantas.
Eu me assusto com todas elas.
Meus cabelos estão ficando grisalhos,
Os seus são grandes e negros como noite sem luar.
Por que eu? Me responda. Tantos mais por aí
Que são a sua cara e o seu jeito.
Vivo me perguntando se tenho direito de te amar,
Mas aí você vem, pula em meu colo
E me surpreende com mil beijos.
E só no que que consigo pensar é
Que não dá pra viver sem esta energia
Que tem e que divide comigo.

É assim, eu vou com o trigo e você
Já está com o pão pronto, aliás
Com tudo pronto, será que estou sonhando?
Eu passei o a vida toda procurando alguém assim
Como você, alguém que trouxesse a cura
Para minha solidão que parecia sem fim.
Não consigo mais viver sem rir,
Será que adquiri algum distúrbio de humor
Quando te conheci? Se isto é verdade
Por favor não chamem o psiquiatra.
Deixa-me onde estou, internado, internalizado
Em seu coração de garota quente.

É assim, estou abrindo minha mente
Pois meu coração já foi aberto pelo
Bisturi do seu amor por mim que veio
Me levar a uma experiência transcendental
Onde quero estar mergulhado sem mais
Fazer tantas perguntas que não levam a lugar nenhum.
Ao seu lado a vida tem todas as cores que
Ela sempre deveria ter. E ouvir você me
Chamando de meu amor é voar no paraíso.
Não existe satisfação maior que tocar
Tua pele que de tão macia nem parece pele.

É assim, me entreguei completamente
A esta insana paixão. Você sabe como estou.
E nem liga para nada, para ninguém
Está tão livre como um pássaro no céu azul.
Você não tem medos, preocupações,
Apenas me ama. Só isso. E isso te basta.
Se isso tudo é natural eu não sei, e quer saber
Não estou querendo saber mais de nada.
Apenas me entreguei a você mocinha
E seja lá o que destino nos reservar,
Estarei ao teu lado para te amparar.
Mas algo lá dentro de mim me diz
Que tudo vai ser sempre assim,
Perfeito demais!

Estou sentindo tua falta

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor
Estou sentindo tua falta
William Vicente Borges

 

Estou sentindo tua falta. Pareço até que vou morrer. Tamanha a dor da tua ausência.
E você está tão perto, mas ao mesmo tempo tão distante, tão longe, tão intocável. Minha alma chora o fato do não sentir teus beijos, Teus afagos, teus carinhos, teus toques, teus doces olhares. Mesmo que você não nunca vá entender toda esta falta que eu sinto, não importa, nada muda o fato que te amo mais que tudo nesta vida. Não me diga que sou exagerado, não sou, sou sim único nestes sentimentos recheados de afeto que são os meus sentimentos, preciso urgentemente ver você. Mas não é só isso, preciso ter você rodeada em meu corpo, preciso do teu perfume entrando por todos os meus poros e impregnando meu coração que bate cada vez mais forte, cada vez mais rápido, cada vez mais sem sentido. Não há como parar tudo isso, não há como parar de olhar e te ver em toda parte. Desculpe por te amar tanto assim. Tanto assim e mais um pouco. Estou sentindo tua falta, vem para mim, largue tudo o que está fazendo, largue a tua vida e venha caminhar comigo para o mundo das ilusões apaixonantes e apaixonadas onde muitos já se perderam um dia, porém não se arrependeram. Vou gritar para o mundo ouvir “I LOVE YOU”, mas acima de tudo para você ouvir, ouvir e acreditar, mas acreditar no coração, na alma, no corpo, na mente no âmago da sua existência que sou o homem da tua vida, da tua história. Meu amor sinto a tua falta e quero a graça dos seus movimentos mais enigmáticos e secretos, estou agora vivendo em câmera lenta enquanto você não vem. O endereço do meu amor é a tua presença. Então sabes que estou infeliz, que estou me afogando em saudades, que estou me dissolvendo em prantos. O mar é pequeno para meus prantos. Intrigantemente teu, e não há nada neste universo que possa se comparar ao amor que sinto por você. Do que precisas, diga? Pois você é o princípio , o meio e o fim desta minha vida que só tem sentido com você. Sinto tanto a tua falta, vem logo, vem logo, venha correndo para meus braços, venha ser feliz finalmente, venha experimentar a razão de ser amada, de ser cuidada, de ser protegida e amparada. Antes que os dias se percam no labirinto do tempo, antes que mais nada reste neste mundo vão. Meu amor para toda vida, estou te esperando neste recanto de paixão onde se convergem todos os sentimentos de juras eternas, de poemas intermináveis, onde a realidade é só um mito e os sonhos são alimento diário, venha logo meu amor, venha para os braços o homem que te espera agoniado e que é seu eterno poeta apaixonado.

No fim do arco-íris

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor
No fim do arco-íris
William Vicente Borges

Existem cores, existem sonhos realizados
Existe esperança que renasce a cada minuto.
Existe o teu carinho.
Existe tesouros sem par.

No fim do arco-íris.
No fim desta jornada
Em busca da felicidade
Que se chama vida
Cheia de acertos e desacertos.

E nesta jornada encontramos
Anjos e demônios.
Encontramos feridas
E somos curados também.

Mas acreditamos que no
Final da caminhada
Estaremos vivos.
Estaremos seguros.
Estaremos felizes.

Existem cores, existem sonhos realizados
Existe esperança que renasce a cada minuto.
Existe o teu carinho.
Existe tesouros sem par.
No fim do arco-íris.
Você me espera para amar.

Canto 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor
Canto

Canto neste canto.
No cantinho da vida.
Sou desafinado, mas
canto neste canto.

Canto no canto que
me restou pra cantar.
O canto que a vida
me deixa cantar.

Mas neste canto que canto,
encontrei um encanto,
que ama me escutar,
não liga pro meu desafinar.

Por isso sabendo que encanto,
continuo no canto a cantar.
E sabe que estou ficando nisso,
e pareço menos desafinar?

Não sei se é o muito canto.
Não sei se é o canto.
Não sei se é o encantar.
Mas estou melhor, pode acreditar?

Um dia não ficarei mais no canto.
E meu canto poderá se libertar.
Assim seguirei com quem encanto,
para em todos os cantos cantar.

Matemática 2

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Categoria: Amor
Matemática

Somando todos
os teu beijos.
Com todos os
meus jeitos.

Multiplicando
todos os abraços.
Pelos tantos
amassos.

Elevando ao
quadrado
todos o
meu cuidado.

Sem subtrair
uma fração
da nossa
emoção.

Ou dividir
então
o meu feliz
coração.

Desta matemática
o resultado:
Estou a cada dia
mais apaixonado!
Carregando