Poesias e Mensagens Virtuais

Mensagens de

Apetece-me

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor
Apetece-me
Hugo Pereira

Apetece-me dizer-te tantas coisas
Contar-te um segredo
Falar-te de um sentimento,
Elevar-te aos céus e soltar mil emoções

Apetece-me escrever-te tantas outras
Colocar-te entre as mais lindas e brilhantes estrelinhas do céu
Soletrar-te em minha escrita
E fazer a minha obra tardar o estrelato envergonhando o Sol e adornando a Lua

Apetece-me aditar-te à branca folha de papel qual gentil marca d'agua
Marca de paz e amor junto ao coração do homem que a assina
Toque de magia e sonho junto ao coração da criança que a lê
Fotãozinho de luz, esperança e coragem que acalma e enternece
Pedacinho de lágrima, tristeza, alegria e paixão que ao poeta a alma alimenta

Apetece-me saciar-me do insaciável
Querer te ver
Apetecer te contemplar
Querer te tocar
Apetecer te abraçar
Querer te sentir
Apetecer te beijar
Querer te viver
Querer te amar

Mas minha boca silencia-se,
meus olhos cerram-se
meus gestos serenam-se
e minhas mãos trémulas em minha cabeça se edificam

No silêncio de um sorriso que para ti reservo, guardo a lágrima onde digo, escrevo e faço acontecer caminhos que me conduzem a ti, senhora dona dos meus sonhos e do meu despertar.

Sou louco 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Depressiva

Sou louco

 

Mensagens e poemas

 

Os caminhos da felicidade passam por se "Ser" ao invés de "Ter". Mas por vezes, esse nosso "Ser" que também sente, respira e para dentro fala, atraiçoa-nos levantando duvidas sobre quem somos e se nos merecemos quando por um instante paramos para pôr em causa toda máxima de dar sem esperar algo em troca.

Nos sonhos encontramos felicidades que a vida nos nega, mas quando até o sonho não nos conforma,... sejamos um pouco..."loucos".


 

 Sou Louco

 

(Jaimão)

 

Vem a mim

 

Quando todos pensam que um carro não voa

O meu levanta vinte metros acima do chão

Quando todos estão convencidos que dois e dois são quatro

Eu não! Juro que são cinco e tenho razão
 

 

E quando os alunos seguem o que o professor diz

Eu não! Faço exactamente o contrário e sou muito mais feliz

E quando a população passa em frente ao hospital

Lá dentro estou eu como doente mental



 

Sou louco

Mas que bom, sou tão louco

Tão louco, tão louco aahh aaaaaaahh

Sou louco

Mas que bom, sou tão louco


 

E quando o povo se levanta cedo para ir trabalhar

E chama nomes à vida só por chamar

O louco sou eu que me levanto quando quero

Que não aturo ninguém nem parto da estaca zero


 

E quando alguns acham que já são alguém

Só porque andam de Mercedes e moram em Belém

Eu tenho três ferraris, dez casas e um avião

Que flutuam livremente na minha imaginação


 

[2X]

Sou louco

Mas que bom, sou tão louco

Tão louco, tão louco aahh aaaaaaahh

Sou louco

Mas que bom, sou tão louco

Seja feliz 12

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Felicidade

Seja feliz
Hugo Pereira


Encara a tua vida de frente, olhos nos olhos. Ela não te vai nascer amiga. Compete a ti ergueres-te, e a ti fazê-la se juntar, entre juras com demais provas de superior vontade manifestada pelo vigor que é luz e calor em tua pele por cada renascer de uma nova aurora.
Integra-te na Natureza, apreciando tudo o que de mais belo ela te pode revelar em seu cenário mais inóspito. Aprecia os seus contrastes, e a beleza contida nas suas coisas mais frágeis, sem por ventura, posterior depreciação perante tudo o que a teus olhos mais se pareça magnificar.

Não julgues nada nem ninguém pela sua aparência. Lembra-te que a Natureza procura seus equilíbrios. Tudo o que na aparência se encontra desfavorecido terá sempre um maior potencial em te poder estar a esconder aquele "tesouro" mais precioso do qual a tua vida poderá  insistentemente  passar ao lado.

Sê eternamente criança. Brinca com tudo o que te apareça e te apeteça. Mas procura também a maturidade que não te leve a magoar o teu semelhante com teus 'brinquedos', e a sabedoria quanto baste, para lhe fazer sentir que brincas.

Não te aprisiones, não te refugies dos medos. Deixa os teus pensamentos conviverem com os teus sonhos. Os grandes momentos de conquistas e realizações em nossas vidas nascerão sempre a partir de um sonho cuja nossa coragem um dia o consiga  libertar dando-lhe asas.

Revê-te esporadicamente no teu dia a dia. Verticalidade, integridade e humildade. Dá o peito à luta com aquela humildade nunca subserviente. E se de cima tiveres que para alguém olhar, que seja por teu braço a quereres levantar. Por teu principio, antes de te chamares pessoa de fé, aceita que há e haverá sempre acima de ti, alguma coisa cuja sua grandeza te é imensurável.

Tudo na vida começa por ser pequeno. E enquanto pequenos, há gestos que podem ganhar importâncias nas pessoas, que outros não menos nobres e mais esforçados jamais o conseguirão. Surpreende e acaricia aqueles que hoje nada esperam de ti.

Não correspondas gritando, ou mesmo falando alto! Expressa-se com o teu silêncio a quem te grita. Em alternativa, fala-lhe nos olhos sem cessar, moderadamente e sem perder nunca a tua postura. Com tua humildade, surpreende os mais sedentos da critica fácil desarmando-os e incapacitando-os pela vergonha de perderem a sua genuinidade no evitar da repetição. Reconhece as tuas falhas e antecipa-te à critica, fazendo de ti próprio o teu primeiro critico por cada teu erro pessoal, profissional ou simples infortúnio que te possa conduzir à piada tosca e trocista.

Aprende a cuidar de ti cuidando dos outros e sem que nunca te esqueças que o  êxito dessa missão, se qualificará pelo quanto antecipadamente a ti também queiras cuidar do teu coração.

Embora meus pensamentos se revejam em tudo o que escrevo, também sei que com as minhas palavras ando longe de ser um perfeito exemplo. Mas vou-me aperfeiçoando e conheço o caminho.....Só vou precisando de quem a meu ouvido me  repita, mais me ensine e melhor me ajude a crescer.

Não sei... 6

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Não sei...

Hugo Pereira


 

Não sei como posso afagar toda a mágoa que me inflama, todo esse mal horrendo que me chama em sucessivos tropeços sem cama.

 

Não sei porque não me hei-de iludir em não pertencer a este mundo lançado à lama, onde almas tristes e ousadas se defrontam pelo preço da fama.

 

Ao amor cobro com minha maldade ingénua que por seu nome e sentido, peço a Deus me volte a secar a alma para nem mais por ténue esperança seja dor sem calor num coração que não me ama.

 

Não obstante incrédulo, no meu mais recente despertar, já não ouso em viver como quem reclama, e de pedra bruta a esculpido e principesco sonhador vou vivendo como quem aclama.

Humano da humanidade

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Vida
Humano da humanidade

Hugo Pereira


 

Nas chamadas irreverências da vida, onde cada qual, aos outros e pelos outros se vão substanciando ódios com genes comuns, emerge sempre alguém que pelas suas semelhanças, ilusoriamente personificadas, criadas e edificadas, chamamos em plena adjectivação de Humano da Humanidade.

 

Julgamo-nos únicos quando na realidade o vazio, não parte de nós mas passa por nós. Não nos vemos porque não há quem nos veja, não nos ouvimos porque não há quem nos ouça, não nos amamos porque não há quem nos ame. Somos o reflexo de impulsos intra-sensoriais que emanecemos em mundos paralelos, quando mesmo no dormir, dizemos respirar. Somos a essência de um sopro cósmico que se quer sempre e cada vez mais forte. Somos esse vazio onde nem de dentro do mesmo nos conseguimos engrandecer. Somos a aparência, a solidão e a escuridão onde o que vive sem cor, colorido seria se cada Humano coexistisse não na luz mas sim em luz.

 

Sendo nada como o nada, consigo gerar impulsos de esperança dentro desse espaço onde me confundo com essa tal de Humanidade.

 

Como nunca nasci, também nunca morrerei nem renascerei. Mas sei que esperando-me, um dia chegarei. E enquanto me espero, não obstante ser igual ao nada dos outros, coexisto na crista de num impulso que me privilegia; Quero aparecer e poder viver.

Para meu bem

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Depressiva

Para meu bem
Hugo Pereira


Para meu bem e só para meu bem, eu sarcasticamente renuncio felicidades, esperando em troca qualquer coisa que fique em mim, me dê prazer em viver e me sirva liberdade.


Para meu bem e só para meu bem, me renego, me despojo, me entrego à maior e mais relevante prestação de ódio e às mais intrínsecas mas eloquentes  e utópicas manifestações de bondade.


Gestos cordiais, sorrisos amistosos,


palavras reconfortantes, esforços imperiosos.


Atrações fatais, desilusões e esperanças,


desfechos sem fim, ódios e lembranças.


Para meu bem e para meu bem, tudo isto para meu bem. Como assim dizer,...MERDA PARA O MEU BEM!


Só tu..!

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor

Só tu...!

 

Hugo Pereira

 

Só Tu, só tu mesmo podes dar à vida e a mim mesmo que não tenho vida, a razão de viver e então poder viver!

Serei...

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Místico
Serei...

Hugo Pereira


 

Cada vez menos vou conseguindo ser dono da minha áurea.

 

Espinhos cravam-se em mim no meu mais intimo ser, que um dia despertará da vida pela sede de uma nova essência sob forma de um consolo que em mim mais há-de arder. Essa fragrância violeta e timbre cortante de mim elevar-se-á e em mim cairá, cruzando farpas entre fontes primárias renegando-se a todos os fulcros intrínsecos que ainda  restar-me-ão.

 

Serei o pulmão de novos ventos, a clareira da vida, a força e os últimos tormentos. Serei a história da minha ficção, perpétuada na complementaridade da história de até então. O mundo como ente será mais uma cláusula da minha existência, dissipada pelo travo acre dessa nova essência.

 

Se sou quem sou, jamais serei quem fui. Mas se não sou quem serei é porque ainda nada sou.

Carregando