Poesias e Mensagens Virtuais

Mensagens de Domingos Calixto dos Santos

Algumas lembranças

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Saudade


Algumas lembranças
Procura-se o autor

Aquele mar azul de bolhas brancas a soar naquela manhã de verão, ostentava a calmaria do abstrato e por isso, parecia até mais azul. A brisa inundava o silêncio, sentada à beira da praia ela encolhia, estava frio, ela tremia e se agasalhava na areia, mas não queria desistir daquela lembrança. Ao norte, a ilha preferida era só uma vaga lembrança de vida. Um pedacinho de terra cercado pelas turvas águas que serenamente se acalmavam e já adormecia. Era fim de tarde. Só os raios avermelhado do sol, nas frestas do coqueiral ainda lembrava vida.  E na manhã seguinte, ainda estará ali, não em matéria, mas, em saudades.


 

Amigo

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Especial


Amigo
Procura-se o autor

Amigos são aqueles que mesmo em dias de festas,
lembram que além do seu entorno,
existe aquela pessoa que deverá ser lembrada.
Aquele sujeito alegre, sistemático, boçal,
ignorante quando ultrapassam os seus limites de paciência,
mas, sobretudo, amigo.
Ter amigos é contar com aqueles que partilham,
fala das coisas boas e das ruins, que brincam e dizem: olá!.
Que mesmo atarefado curti sua página,
manda uma mensagem, torce pela sua felicidade.
Se você tem um amigo,
nestes momentos de felicidades, não o esqueça.
Dê um telefonema,
mande uma mensagem,
fale com sinceridade:
eu gosto de você.
Feliz Natal a todos.

Recomeçar 21

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Comemorativa
Recomeçar

Olhar o relógio, palpitar o coração, desejar
Desejar que a vida seja sempre melhor

Que os amores sejam sempre incansáveis

E a namorada não abandone jamais

 

Reler a própria história e pensar em capítulos outros

Aqueles que não foram escrito mais que foram pensados.

Acabar o texto, o parágrafo ou frase que começou e, ponto.

Talvez ponto final. Talvez exclamação!

Quem sabe uma interrogação caia bem à frase que se perde?

 

Continuamos com as reticências...

Que fazemos nós com nossas vidas?

 

É tempo de pensar, de concentrar o positivismo e a fé.

De rever as metas e analisar o desempenho.

E se pouco foi feito. É tempo de reprogramar

Reprogramar os objetivos, rever o plano.

Alocar novas buscas 

E assim, continuar.

 

É hora de vadiar pelas incertezas e pelas alegrias de ser vivo.

É hora de fantasiar e incrementar este capítulo.

E contar uma anedota para envolver o leitor

É hora de escrever suas frustrações, suas conquistas.

Seus desesperos.

 

Nada se perderá.

 

É hora de rever os conceitos e acreditar

Acreditar que o outro também pode

E por mais que não pareça, ele pode ser melhor.

É hora de contar o tempo.

O tempo do fim.

 

Tempo de contar os minutos 

E adentrar um novo capítulo.

Tempo de regredir para simplesmente começar.

E começar algo sempre novo.

Novo como o brotar das árvores que renasce pós a seca

Novo como o amor verdadeiro que renasce a cada dia.

Como o filho que nasce 

E como a primeira palavra que profere.

 

Novo como o grito que se solta 

Em meio à multidão

Que peleja para erguer a cabeça e ver.

Ver o brilho das estrelas amealharem com o clarão dos foguetes

É hora de olharmos o céu a ver a fagulha que se cairá.

Para  festejarmos o encanto da noite

Entrelaçado com a certeza de dias melhores.

 

 E então, de súbito ou repentinamente, 

olhamos ao lado a procurarmos.

O beijo amigo, o abraço fraterno, as felicitações.

E um tapa nos ombros nos diz solenemente:

 

Feliz Ano Novo!!!

 

Caminho 5

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: PowerPoint

   Caminho

Apenas peguei no caminho
A flor sem espinho,
Cheirei

Apenas sonhei com destino
Outro que não cheguei

E sei:

Não há caminho...

Faz de conta

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Vida
Faz de conta

Quando as pedras sopram o ar
E o vento consigo leva os grãos de areia,
A vida escarra a lúdica ternura
De um viver para brincar.
Brincar e sorrir
Ou fazer de conta...

Passagem 3

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Passagem

O sol brilhando no mar
A lua fazendo caminhos
A água escutando o mundo
O vento soprando a dor

O dia sumindo na noite
As trevas apagando a luz
Os lírios nascendo na terra
As folhas caindo ao vento

O frio confortando a alma
A rua seguindo meus passos
O pássaro marcando as horas
O travesseiro me escutando
Os sonhos tirando meu sono

Eu, sentado na estrada
Esperando a vida passar


 




Carregando