Poesias e Mensagens Virtuais

Mensagens de Fatima Rezende

Amor platônico 3

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor

Amor platônico
Fatima Rezende





Sentimento imprevisto... sem sentido
Sem licença pedir, meu ser invadiu
De tal forma que me aprisionou em Ti
Dor sentida e escondia no sorriso meu
Quando ao sonhar com os carinhos teus
Que não os terei... nem tampouco os terá!
Estando tão próximo... e tão longe
Que só se pode medir a distancia
Pela saudade que reveste minha alma
E a solidão que habita em meu ser
Sorriso nos lábios... tristeza no olhar
Tão próximo... e tão distante
E a cada instante mais intenso é o desejar
A dor que essa alegria mascara...
O querer perto estar... e poder falar...
Pois mesmo longe, quando o amor se apega
É certo que não há de dirimir...
Pois por mais grandiosa que seja a contenda
Estás em mim... sou prisioneira em ti.

Frágil 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor

                     Frágil
Fatima Rezende


Sou ser frágil...
Como cristal,como brisa
Sinto falta de mim de outrora
Onde como o sol me sentia!

Tu me faltas,eu me falto...
Já me fizeste forte, 
pois alma gêmea me sentia
Agora frágil estou...
Porque me falto, se tu me faltas...

Recordo-me da luz do sol...e da  lua iluminada...
Do ser forte, que me sentia
No entanto, tu me faltas 
E por isso, hoje sou melancolia....
Um ser frágil eu estou....

Quero um abraço 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Saudade
Quero um abraço
Fátima Rezende
    
Quero um abraço, forte e profundo...
Um grande abraço... bem apertado
Que me faça esquecer o mundo
E da realidade me refugiar...
E só por um minuto ser feliz,
Na magia... Minha alma entregar
E no silêncio deste abraço sonhar!
Sonhar com o impossível!
No entrelaço dos braços...
Minha energia recarregar...
Sentir os braços teus... e meu coração a pulsar
Num descompasso silencioso...
Guardando segredo meu...
Ah ! abraço...entrelaço...
Quiçá este momento eternizar!

No tempo e no espaço... Deste abraço
Minha alma acalentar...
Pois... só quero um abraço
E no silêncio, a saudade findar...
  
             

Horizonte esquecido

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor
Horizonte esquecido
Fátima Rezende
O mundo é imenso
Não dá para se imaginar
O quanto é grande!
EU... eu sou um ponto!
Perdido no horizonte...
Horizonte que não é fitado
Por ninguém
Fui esquecida... deixada
E em LUZ não me transformei
LUZ... queria ser
Raios a emanar
Mas... esquecida no horizonte
Só um ponto... a marcar!
Marco o tempo a passar...
Dos que tempo não tem
Marco o som
Dos que música não houve
Marco as datas
Dos que nada tem a comemorar...
Sou ponto esquecido
Num horizonte perdido
Porém se alguém me encontrar
Quando o horizonte fitar
Me transformarei em LUZ
Raios brilhantes a exalar
O mais doce perfume do AMAR!

Viver ou morrer

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Depressiva

Viver ou morrer ?
Fatima Rezende

Tento com força remar, mas em vão,

pois sei que o mar... é maior do que minhas forças...

Maior  que minha vontade...

Penso em vão não pensar...

Não temer, mas temo que possa me afogar !

Pois as águas são profundas e nadar eu não sei..

Nadar até a praia?

Nadar e me salvar?

Ou me deixar flutuar?

No destino... no obscuro!

Não... não posso, pois... nadar... nadar eu não sei...

Então, é para a morte me lançar? Sem tentar?

Tentar apreender rápido a nadar  e nesta águas profundas não me afogar!

Ou me deixar  levar...pois nadar..nadar eu não sei...

Vida é pulsar

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Depressiva
Vida é pulsar
Fátima Rezende
Vida é o pulsar do ser?
Ou o pulsar é a vida do ser?
Ser humano participante que busca viver
O lúdico... O real... O divino...
Vida é o sol contemplar... as tempestades aceitar
Vida é a luz buscar... e os sonhos realizar...
Vida é viver o abstrato e na realidade pulsar....
Vida é chorar... é sorrir... é se frustrar...
Vida é ser feliz... é sofrer... é saudades sentir...
Vida... definição complexa... Indefinida...
Mas se não houver o pulsar, nada acontecerá!
A vida do ser depende do seu pulsar
Se isso não ocorrer... a vida se findará...
PULSAR... energia... ânimo... desejo... vida
Enfrentamento de diferentes situações
Pulsar... gritar... sorrir... chorar...
Amar... desarmar... tornar amar... e pulsar...
Pulsar de medo... pulsar de Felicidade...
Pulsar de raiva... pulsar de Amor...
Vida é pulsar... pulsar... e sempre pulsar!
Vida não é inércia e estagnação...
Vida... vida... vida hoje... Não sou eu!

Medo 8

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Depressiva
Medo
Fátima Rezende
Medo... do medo ...
De experimentar a vida
Tal qual ela se apresenta
Medo... do medo de sentir...
O que não se consegue definir
Medo... do medo de se expor
Medo de mostrar-se verdadeiro...
Medo... de não ser compreendido...

Medo... de ter medo... de amar
Alguém que também tenha medo...
E não ser correspondido
Medo... do medo... de ter medo...
Medo de que em algum momento
Se tenha medo e não se saiba como agir...
Medo... do medo... de ter medo
Simplesmente pelo fato de saber
Que o medo pode nos invadir!
Medo... do medo... de sozinho se sentir...
Medo... do medo... de ter medo
De viver...

Medo... do medo... de ter medo... do medo!

O grito 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Depressiva
O grito
Fátima Rezende
O grito é uma forma genuína de se expressar...
Dos que ouvidos não são... Ou é urgente o falar!

Grito porque não há ninguém para me escutar
Grito no silêncio de mim mesma
Grito, porém sem som... porque ninguém há...
Grito no escorrer das lágrimas...
Grito na recusa do falar...
Grito para não ser ouvida... Porque ningúem há...
Grito... porque calar já não dá...
Grito porém não consigo a expressão do meu ser
Grito porque não há ninguém... porque não sou alguém...
Grito... mas não soa o meu gritar!
Grito... porém só eu ouço... o meu expressar
Grito no mais profundo silêncio... do meu gritar!

Que seja assim

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor
Que seja assim
Fátima Rezende
Que seja tranqüila lembrança
Como o sorriso de criança
Que seja doce mistério
Pois é belo e puro
Como a paz que procuro
Que seja assim
Como o mar
Que a areia vem beijar!
Como a brisa de outrora
Como a flor ao desabrochar

Que seja bela recordação
Que seja mistério compreensível
Aos que apenas sentem...
Aos que se invisíveis se fazem
Doce e límpida lembrança... enfim
Que seja... que seja assim...

Amigo... procura-se

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amizade
Amigo... procura-se
Fátima Rezende
Que seja bondoso
Que não pergunte o por que?
Que tão somente queira
Uma amizade viver
Procura-se um amigo
Que saiba ouvir... e saiba calar
E tão somente
A verdade falar
Procura-se um amigo
Com quem se possa partilhar
Os bons e maus momentos
E a mão estender...
Procura-se um amigo
Que seja sincero
Em seu modo de ser...
Procura-se um amigo
igual a você

É igual a você
O amigo que desejo ter
Que por vezes... saiba me ouvir
Em outros momentos...
No silêncio... possa me compreender
No entanto cadê... Você?
Que tanta falta me faz!
Que já não me percebe mais?
Que tão próximo está!
Mas distante se faz!
Um amigo procura-se... Procuro VOCÊ!

O que seria?

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Carinho
O que seria?
Fátima Rezende
O que nunca se iniciou
Portanto não se concretizou
No entanto, acabou...
Acabou como o sopro do vento
Que não se vê... apenas se sente
Como a chuva de verão
Às vezes só ameaça
E nem sempre se faz presente
Por não ter iniciado
Nem tampouco concretizado
Deixou dúvidas no ar!
Seria chuva de verão?
Ou o vento a nos tocar?
Se chuva fosse?
Haveria trovão?
Ou seria, calma e serena
E se fosse um vento forte?
Seria premunição?
De uma chuva de verão?
Ou tempestade?
Ou nada... nada seria... apenas ilusão!

Amor ou paixão

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor
Amor ou paixão
Fátima Rezende
Gostaria de ser poetiza para em versos
meus sentimentos expressar...
Porém não sou, então cabe-me tentar
o ensaio de traduzir o que sucede
no âmago de meu ser...
Sentimentos que me lançaram a uma transformação
Quando me parecia impossível sair da
inércia e estagnação
Numa metamorfose secreta... silenciosa...
Que no entanto me trouxe de volta a VIDA !
Me permitindo novamente ser feliz
AMOR... ou... PAIXÃO?
Não... na forma convencional!
Mas é Amor... é Paixão
Pois só tais sentimentos produzem tal revolução e inovação interna
AMOR... sem contudo ter o desejo de possuir...
Nem tampouco esperar que seja assim...
Amor com desprendimento... sincero desejo
do bem estar de quem se ama
AMAR... por... AMAR
E por vezes tal sentimento não compreender...
Porém sentir-se feliz apenas por saber
que tal emoção é capaz de cultivar
PAIXÃO... por desejar próximo estar e fazer tudo por quem se ama e sem deste nada exigir
Desejar estar juntos, mesmo que não possa tocar...
Sentir-se segura por saber que a pessoa amada presente se faz
AMAR... mesmo que não aprove a atitude do ser amado, porém fazer desta momento uma oportunidade de exercitar o perdão
PAIXÃO... em sentir saudades e simplesmente realizar-se em contemplar
e alegrar-se no seu sorriso ou ao ouvir a melodia de sua voz
E em silêncio ser feliz...
Percebendo que estes momentos para alguns é muito pouco...
Mas para quem AMA... por... AMAR
É o bastante para
A alma acalentar...

Saudades

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Saudade


Saudades
Fátima C. Rezende


Hoje acordei com um sentimento sem sentido;


Um profundo sentimento de vazio.... inércia.


Senti falta da vida !


Do teu sorriso a me alegrar!


Do sol a me aquecer...


Da sua voz a me acalmar .


Senti a ausência da brisa,


que meu corpo não tocou.


Senti falta dos teus olhos,


que hoje não me fitou.


Senti saudades da energia,


de dois seres a se amar !


Senti ausência da vida ,


da alegria no ar!


Hoje... ontem... sempre, saudades sentirei...


De um sentimento não vivenciado,


tampouco compreendido!


Hoje acordei com saudades da vida,


 de mim... saudades de você!   

Dicotomia

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor
Dicotomia
Fátima Rezende
Já tentei desse sentimento
desvencilhar-me
Não obstante a saudades
Força-me a lembrar
Que não se importa com a razão
E que a EMOÇÃO irá reinar...

O tempo passará...
E terei que conviver
Com essa Dicotomia
O presente... passado será
E a EMOÇÃO não há de me deixar...
O futuro... presente se fará.
E tal sentimento pela eternidade
me seguirá...
Então o que fazer?
Se não consigo me dissociar...
Presente... futuro ...passado
Como administrar?
Dicotomia... Dissociar...
Diferir ...Não consigo
Então... sentimento
Terás que conviver comigo...
Devo então unificar o SENTIR
Passado, presente, futuro...
Dicotomia, saudade ...sentimento
E todos em paz com a EMOÇÃO
Para que haja hamornia enfim...
Evitando que num engano
Possa o tempo de dirimir.

Enigma 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão


Enigma
Fatima Cunha Rezende


É tentar compreender essa ''Massa ''incompreensível ...


Sem, contudo, deixar de fazer parte do Todo...


Enigma é concluir que o Todo também faz parte do Nada ...


E que ambos estão intrínsecos na'' Massa''...


''Massa''... Inconsciente e que em si busca encontrar sua própria consistência, tentando explicar o inexplicável!


Que é a sua insignificante existência...


AH! ''Massa''... que nos amassa e desamassa...


Num abraço forçado ou "amigável" Cheio de sorriso e gentileza...


E nesse abraço, ironicamente nos faz crer num sonho irreal de que é um continente!


E por alguns momentos nos permite a ilusão de sermos felizes, por fazermos parte dessa ''Massa.''..


E crer que a ''Massa ''é consistente fazendo parte do Todo...


E que o Todo faz parte da gente...


Gente que caminha no Nada procurando o Todo...e com a ''Massa ''se identificando.


Enigma é tentar lucidamente compreender a'' Massa'';


Fazer parte dela, porém manter-se integro internamente...


Enigma é conceber o Nada como o Todo e não se permitir levar pela'' Massa'' ...


Massa... Aglomerado... Multidão de seres viventes, inconsistentes...


Que supostamente se denomina gente consciente...


Nada...vazio...falta de conteúdo... de objetivo... de clareza de ideal...


O Todo é parte dos sonhos realizados ou impossíveis...


Que por vezes não é nada frente à magnitude da vida ...


Enigma é a concepção da vida dentro do seu Todo... da verdade, do real, do ético, do Ideal ...


Enigma é não fazer parte da ''Massa ''que nos abraça...


Enigma é ser único... autêntico...


E fazer parte do Nada em busca do Todo e não se deixar confundir com a'' Massa''...

Dentro de mim 2

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Rompimento
Dentro de mim
Fátima Rezende
Lá fora, brilha o sol
As pessoas se encontram
Dançam a brisa
Os pássaros cantam...
Aqui... Dentro de mim
Há nuvens, é frio!
Só tristeza, enfim...
Pois não estás aqui...
Lá fora, todos se encontram
Se acham, se abraçam
No entanto eu... aqui
Perco-me no descompasso
Lá fora, tudo é riso
É sol, luz... é vida
Tudo é alegria ...é paixão
Aqui... aqui dentro de mim
Tudo... não passou de ilusão!

Só por hoje 1

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Reflexão
Só por hoje
Fatima Rezende
Só por hoje não vou pensar nos meus defeitos...
Pois são muitos que precisam ser elaborados...

Só por hoje vou reverenciar o meu lado divino... pois sou Luz....
E quando permitimos que a luz nos guie o Divino sempre prevalece...

Fuga

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Carinho
Fuga
Fátima Rezende
Fujo de mim...
Não quero me encontrar
Pois sei que grande a batalha será!
E quem essa batalha evitará?
Fujo! Não quero me confrontar!
Busco no passado a razão...
Porém encontro no presente à confusão...
Fujo, porém não consigo
Desviar-me da emoção
Que se confronta com a razão...
Fujo... sem saber para onde
Passado... presente... futuro...
Fujo de mim...
Mas não adianta... é em vão
Pois inútil negar a emoção
Pois nesta fuga de mim
Encontro sempre VOCÊ!

Cofre e destino

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Rompimento
Cofre e destino
Fátima Rezende
Arrumo e desarrumo
O meu espaço interior
Para um cofre colocar
E bem lá no fundo guardar
Guardar as lágrimas...
As palavras não pronunciadas
Os sonhos não vividos...a saudade
Que já não mais me maltrata
Guardo o teu riso... por vezes irônico
A tua voz... que acalma...
A tua face enfurecida...
O teu olhar... consolador...
O teu mau humor...
Enfim... Tudo o que de ti for
Guardo as canções...
As trocas de olhares...
A vivência de emoções...
Deposito tudo no cofre
Para poder fechar... trancar
E só abrir noutra vida
E se o destino assim me permitir
Melhor tais sentimentos acomodar
Senão... neste cofre para sempre permanecerá!

Um dia 24

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Amor
Um dia
Fátima Rezende
Um dia foste luz
Foste poesia
Era a própria alegria
Assim foste um dia...
E dias... e dias... se passaram
E com o tempo... tornou-se tempestade
E se esqueceu do que foste um dia...
Tornou-se vento frio
Árida poeira...
Deixando toda a doçura
Do que foste um dia
Em meio a um furacão
Negou tudo o quanto foste
Da doce lembrança do que foi
Restou apenas saudades
Mas... um dia foste esperança
Foste luz... foste poesia...
E quem sabe no amanhã...
Retorne a sua essência
Emanando toda a energia...
Do que foste um dia!
A energia da Vida... da Luz... do Amor!
De tudo o quanto de positivo provinha
Levando a saudades e alegrando o meus dias!

Lei da natureza

Nota 1Nota 2
Nota 3Nota 4
Nota 5Nota 6
Nota 7Nota 8
Nota 9Nota 10
Cantinho:
Categoria: Natureza
Lei da natureza
Fátima Rezende
Preconiza a lei da natureza
Que o sol e a lua
Não podem se encontrar
Quando isso ocorre se dá o eclipse
E se o eclipse não passar?
Será o fim do mundo?
E como seria?
Se o sol e lua... sem perceber
Se deixassem pela emoção se levar?
Não, isso não seria possível
Pois assim o destino
Não permitiria

É por isso que há as estrelas
Em alerta constante
Para não permitir que a lua e o sol
Num momento de distração
Deixa-se levar pela emoção!
Carregando